Crianças precisarão informar CPF para se matricular em escolas públicas de Goiânia

Segundo a prefeitura, objetivo é evitar duplicidade no censo escolar e dar fidedignidade a quem está na fila de espera

Foto: Paulo José

A prefeitura de Goiânia, por meio da secretaria municipal de Educação e Esporte (SME), vai exigir o CPF da criança matrículas na rede de ensino público da cidade, a partir de 2020. Segundo a pasta, medida servirá para evitar duplicidade no censo escolar do ano que vem. Esta valerá para inscrições e pré-inscrições online.

Como hoje é possível que o responsável da criança utilize o seu CPF, em muitos casos ocorre a duplicidade do cadastro, o que sobrecarrega e atrapalha a verificação dos números reais das demandas por vaga. Deste modo, a mesma criança pode ocupar mais de um lugar na lista de espera, mesmo sendo garantida a opção de três instituições diferentes de preferência dos pais e responsáveis.

Conforme a SME, ao utilizar o CPF do próprio menor será possível mapear e identificar no sistema online da prefeitura, bem facilitar que ferramentas de pesquisa da e-matrícula localizem mais dinamicamente os dados do estudante. Isso vai otimizar a situação tanto para matrículas, quanto renovação de matrículas e transferências entre instituições.

Também foi explicitado que esta mudança servirá ao censo escolar, uma vez que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai exigir, a partir de 2020, que as instituições de ensino informe o número do cadastro dos estudantes, para finas de inscrição. Além disso, segundo a SME, o Inep também pretende dar mais veracidade nos números que são explicitados pelo órgão.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.