Criança africana vem a Goiânia para tentar procedimento criado por Zacharias Calil

Paciente marcou encontro com o médico goiano, mas ainda não se sabe como operação será feita sem recursos e apoio do SUS

Na foto Zacharias Calil | Foto: Renan Accioly/Jornal Opção

Matheus Monteiro

Uma criança de Luanda, capital da Angola, de apenas seis anos veio com o pai ao Brasil para tentar um procedimento criado pelo médico goiano Zacharias Calil para diminuir um má formação no braço causada por um tumor. A primeira consulta será realizada no consultório particular do médico nesta quarta-feira (26/4).

Em entrevista ao Jornal Opção, Zacharias disse que o procedimento foi criado por ele há 17 anos e está em fase de patente. “Esse tratamento tem alto índice de cura. Dentro de ambiente hospitalar, um outro médico especialista me mostra onde estão as lesões microcísticas e, então, é injetado o produto esclerosante”, explicou após ver fotos do paciente.

A função do procedimento é diminuir a má formação para que, então, seja feita a cirurgia para tratamento do câncer.  Segundo o médico, alguns casos são tão bem sucedidos que não necessitam da operação.

A questão é que o procedimento não é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SMS), e a família do paciente não tem condições de bancar o procedimento. De acordo com o pastor Rômulo Dias dos Santos, que está acompanhando o paciente em Goiânia, ainda não há nenhum plano para arcar com os custos do tratamento, que pode chegar a quase R$ 70 mil.

“A Igreja [Nação Eleita no Brasil] pode arcar com a estadia dele aqui por um ano, mas de resto não temos recursos. Vamos contar com a solidariedade do povo goiano”, disse.

 

 

Deixe um comentário