CPI das Universidades se reúne com MEC em Brasília

Encontro serviu para delimitar irregularidades apuradas pela comissão

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada para investigar possíveis irregularidades nas instituições de ensino superior esteve, nesta quarta-feira (1/8), em Brasília para reunião no Ministério da Educação (MEC). Participaram do encontro o presidente da CPI, Talles Barreto (PSDB), o relato Simeyzon Silveira (PSD), e o secretário de Regulação e Supervisão do MEC, Henrique Sartori.

O deputado Simeyzon Silveira explicou que areunião serviu para que o órgão federal se posicionasse sobre as parcerias firmadas entre institutos terceirizados e faculdades privadas e, principalmente, para buscar, em parceria com o MEC, tornar possível a produção de um relatório. Neste contexto, o órgão estabeleceria o seu olhar sobre as situações que foram encontradas nas oitivas realizadas pela CPI.

Ele disse que a orientação do MEC sobre o que seria ou não regular nesta área dará a segurança para a produção de um relatório sem equívocos. “Nosso grande objetivo é contribuir com a Educação em Goiás e por isso a importância desta parceria com o MEC. Precisamos banir aqueles que estão lesando os consumidores do ensino e valorizar aqueles que prestam bom serviço na área da educação”, explicou o relator.

De acordo com o parlamentar, as investigações realizadas até agora pela CPI  sugerem que diversas empresas estão utilizando brechas da legislação vigente e que existe falta de fiscalização efetiva dos órgãos competentes nos casos de oferta de serviços educacionais irregulares em Goiás.

O presidente Talles Barreto disse que a CPI tem um forte interesse em solucionar as demandas que foram recebidas. “Dentre várias denúncias que recebemos, separamos cinco pontos importantes e que hoje foram demonstrados ao secretário Henrique Sartori”, explicou.

O deputado disse que esses pontos refletem o que hoje está acontecendo no Estado de Goiás e que, por isso, obteve como retorno do secretário grande interesse em ajudar. “O MEC, por meio de Henrique Sartori, inclusive estará indo a Goiânia para participar de uma audiência pública da CPI. Será um momento importante para atingirmos o objetivo maior da Comissão, que é inibir instituições irregulares de atuarem em Goiás”, expôs.

Talles Barreto informou que com a referida audiência pública, que ocorrerá no dia 14 de agosto, será possível ter o embasamento necessário para que a CPI possa fechar os seus trabalhos.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.