Cortes e CPI dos incentivos têm afastado empresas, diz Valdivino de Oliveira

Ex-secretário da Fazenda tem mediado ida de empresas para Estados, mas diz que Goiás é vista com desconfiança, devido ao “ambiente econômico conturbado”

Cortes e CPI dos incentivos têm afastado empresas, diz Valdivino de Oliveira
Foto: André Costa/ Jornal Opção

O ex-deputado federal, ex-secretário da Fazenda de Goiás e Distrito Federal, economista e professor universitário, Valdivino de Oliveira, afirma que o ambiente econômico de Goiás está “um pouco conturbado”. Ele explica que isso se deve a declarações sobre, por exemplo, reduções de incentivos, além da CPI que investiga esses benefícios na Assembleia.

“São vários fenômenos que geram essa conturbação: preocupação do governo em reduzir incentivos; Assembleia fazendo CPI de incentivos fiscais; secretária que dá entrevista falando que esta política [de incentivos] está ultrapassada…”, enumerou.

Valdivino pontua que o governo sabe do seus “apertos”, mas essas discussões deixam a classe empresarial imaginando até onde vai a questão de reduções. “Deve ser bem definida: vai reduzir mais, vai manter? Essa falta de clareza gera uma insegurança se esses benefícios são firmes ou não”.

CPI

Já sobre a Assembleia, o ex-secretário afirma que a CPI dos Incentivos Fiscais deixa os empresários arredios. “Mina um pouco o ambiente”, afirma.

Ele exemplifica que, atualmente, São Paulo tem chamado empresas e oferecido benefícios, enquanto Goiás tem questionado. “Esse questionamento não é bom”, alerta.

Apesar disso, ele ressalta que a situação é questionável. “Para contornar o governo deve definir e não gerar expectativa [negativa]. A expectativa é ruim, é preciso criar uma situação melhor e mais certa, de dar apoio para não gerar insegurança”, acrescentou.

Valdivino lembra, inclusive, que os investimentos não são de curto prazo. “Ninguém constrói uma empresa para funcionar por cinco anos. É por pelo menos 20”, adverte.

Oportunidades

O ex-deputado federal é também empresário e possui um escritório de consultoria para empresa. Segundo ele, esse aspecto de “conturbação econômica” não é adentrado em seus relatórios.

“Traduzo apenas a oportunidade de negócios, onde se tem maiores vantagens”. Questionado se tem levado empresas de Goiás para Brasília [ou para outros locais], o economista diz que não tem essa missão de “tirar de um lugar e levar para outro. Colaboro com ideias”.

Valdivino, cujo escritório de consultoria atende entidades de todo o País, afirma que as empresas pedem que se faça o planejamento tributário e que se busquem as melhores alternativas para se estabelecerem. “Falamos de Goiás, DF, São Paulo e outros locais. Eu não convido ninguém, apenas falo qual a legislação vigente dos Estados”, explica.

Consultoria

Apesar disso, o ex-secretário da Fazenda afirma que o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), e o secretário de Estado da Fazenda, André Clemente Lara de Oliveira, tem lhe pedido para colaborar com a gestão. “Eles têm me pedido sugestões”.

Em relação ao governador Ronaldo Caiado (DEM), ele também confirma que conversou com o governador e se colocou à disposição. “Porém, não fui solicitado”, finalizou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.