Cortes de Dilma na mira de manifestação da UNE, em Goiânia

Entidade prevê reunir, nesta sexta-feira, os cerca de 10 mil estudantes que participam de congresso na capital. Eles querem a manutenção de investimentos na educação

Os cortes do governo federal no orçamento da educação, que podem chegar R$ 9 bilhões, estão na mira de manifestação da União Nacional dos Estudantes (UNE). Às 19 horas desta sexta-feira (5/6) estudantes que participam do 54º Congresso da UNE, em Goiânia, realizam protesto contra o ajuste fiscal promovido pela União. A Praça Universitária será o ponto de concentração e a expectativa da organização é reunir 10 mil pessoas.

A UNE discorda que setores como a educação sejam alvos de cortes. Como sugestão, a entidade defende a “taxação de grandes fortunas, a redução dos juros e outras ações justas que não atinjam o sistema de ensino e as universidades, em franca expansão no último período”.

O protesto de hoje é uma continuação de outro que aconteceu no início do ano em todo o País, contra contingenciamento do Ministério da Educação (MEC) e o que classificam como “negligência” do Congresso Nacional na votação do orçamento. Para os estudantes, o cenário levou ao bloqueio de verbas para instituições federais de ensino superior no início do ano. Algumas instituições, como a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tiveram de suspender o pagamento das contas de água e de luz.

O cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) também é ponto de preocupação. Aprovado em 2014, ele prevê financiamento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) para o setor educacional dentro de dez anos. “Os cortes não podem comprometer as metas do Plano, que incluem a erradicação do analfabetismo, a ampliação do acesso à educação infantil e a valorização da carreira dos professores em todos os níveis”, avalia a coordenação.

Um ato político em defesa da democracia ainda será realizado no sábado (6), às 16 horas, na Arena Goiânia. O objetivo é demonstrar a insatisfação contra os brasileiros que defendem a intervenção militar no Brasil.

Participam do ato a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), o coletivo Fora do Eixo e a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

O 54º Congresso da UNE se encerra no próximo domingo (7) com a eleição da nova diretoria e presidência, que representa mais de sete milhões de universitários.

Deixe um comentário