A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) encarregada de investigar as atividades do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) aprovou nesta terça-feira, 30, seis requerimentos, incluindo um convite direcionado ao governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), para participar de uma reunião no colegiado.

O deputado Gustavo Gayer (PL-GO) apresentou o pedido, argumentando que a presença do governador “contribuirá para enriquecer o debate, já que não há registro de qualquer ocupação do MST no estado de Goiás, conforme mencionado durante a reunião da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA)”.

Essa solicitação do deputado se baseia em uma declaração feita pelo próprio Caiado, que afirmou que em Goiás não há invasão de terras”.

Outras aprovações

Além disso, foram aprovados outros requerimentos, como o convite para Francisco Graziano Neto e Geraldo Melo Filho, ex-presidentes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), comparecerem à CPI para prestar depoimento sobre o assunto em questão.

Também o convite direcionado ao professor aposentado da Universidade de Brasília (UnB), José Geraldo de Souza Junior, para apresentar um diagnóstico da situação agrária do país, oferecendo sua expertise e conhecimentos na área.

Ainda foi aprovado o convite para a especialista em Medicina do Trabalho, Raquel Rigotto, a fim de que ela apresente um diagnóstico da situação agrária no país, trazendo seu conhecimento específico sobre as questões de saúde relacionadas ao trabalho no campo.

Por fim, a participação da Controladoria-Geral da União (CGU) no assessoramento dos parlamentares da CPI, a pedido do relator, Ricardo Salles (PL-SP), para fornecer suporte e orientação em relação aos aspectos de controle e transparência envolvendo o tema em investigação.

Durante a mesma sessão, os membros da comissão ouviram os depoimentos de Nelcilene Reis e Ivan Xavier, que são ex-membros do MST.