Consumidores reclamam de preços e anúncios. Confira dicas para evitar problemas

Maquiagem nos preços, valores exorbitantes de fretes e sites lentos estão entre as queixas prestadas

black_friday

Black Friday: queixas foram feitas no site Reclame Aqui | Foto: Reprodução/Facebook

Antes mesmo que a Black Friday começasse, consumidores reclamavam dos anúncios feitos. O site especial do Reclame Aqui, para a edição 2014 brasileira, contabilizou queixas a partir das 18h da quinta-feira (27/11). Dias antes, muitos consultores davam dicas para evitar transtornos na sexta de promoções.

A primeira era quanto à maquiagem dos preços. Os valores não cairiam mais que 50%, alertavam. Ainda assim, em inúmeros sites é possível ver a propaganda na casa dos 80% off. Outros cuidados eram reforçados por eles, por exemplo, com a forma de pagamento. Além disso, sublinhavam a necessidade de guardar os comprovantes da compra para eventuais problemas, até mesmo para efetuar a troca por arrependimento sem desgaste.

Antes das 11 horas de hoje (28), o site Reclame Aqui já contabilizava mais de mil reclamações apenas no top cinco, ranking de queixas do endereço. A liderança é da loja Submarino (365), seguida pela loja virtual Americanas (298), Saraiva (243), NetShoes (86) e Extra (60).

Além dos preços maquiados, os internautas protestaram quanto aos problemas no funcionamento dos sites, o valor excessivo do frete e pelos produtos que sumiam do carrinho.

Dicas

O burburinho era que a receita seria maior e que os problemas seriam menores. Ainda não há balanço quanto aos lucros dos varejistas, mas os problemas já estão aí. Por isso, segue abaixo alguns cuidados para aproveitar as próximas horas sem tanta dor de cabeça.

Primeiro, saiba melhor o que é a Black Friday. A história é a seguinte: os varejistas querem renovar os estoques para enchê-los de produtos novos para um Natal limpinho em folha. Isso começou nos Estados Unidos. Lá, os consumidores aproveitam a última sexta-feira de novembro, depois do  feriado de Thanksgiving, para renovar o guarda-roupa, trocar o PC velho, descolar uns livros e discos novos com descontos reais de até 80%.

Segundo, entenda que aqui os descontos não são tão altos. Ao menos é o que alguns economistas e consultores têm alertado. O caso é que os melhores produtos já devem ter sumido das prateleiras e que os descontos não passam da casa dos 50%. Terceiro: não é porque você colocou o produto no carrinho que ele é seu. Quem conclui a compra primeiro leva a barganha. Por isso, não demore a fechá-la.

A Câmara Brasileira do comércio eletrônico reeditou o Código de Ética. Dessa vez, um selo antifraude, nomeado “Black Friday”, garante que os varejistas não maquiem os preços. O Procon Goiás vem monitorando alguns preços para que não ocorra a chamada “metade do dobro”, quando as empresas elevam os preços, um tempo antes, para parecem com super descontos, no dia de ofertas.

Cuidado com as senhas e dados, com o prazo (de sete dias) para se arrepender de comprar o produto, com o comprovante da compra e confirmação do pedido (é bom imprimir os comprovantes) e com os fretes exorbitantes.

Duas siglas: se atente no certificado de proteção do site (SSL), o cadeado verde no navegador e a letra S no HTTP. A outra é o CNPJ. Isso mesmo, cuidado com as lojas em falência. É bom dar preferência aos sites conhecidos e indicados por amigos. Por último, um aviso: deixe o antivírus e o firewall funcionando, para se livrar dos acessos nocivos. E se você tiver alguma reclamação, pode listá-la no site do Reclame Aqui e do Procon.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
andre

Muito bacana as dicas acima temos que tomar sempre cuidado ao fazer as compras online. Ano passado eu comprei através das indicações de descontos do site e não tive problema! Todo cuidado é pouco ao encontrar ofertas em qualquer site. Vale a pena ficar ligado! Obrigado pelas dicas acima!!