Conselheiro Federal aponta falta de compromisso da OAB-GO com a advocacia jovem

Segundo Leon Deniz, articulação de Lúcio Flávio impede que advogados com menos de cinco anos de inscrição na Ordem possam compor o Conselho Seccional 

Arquivo

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em sessão plenária nesta terça-feira (2/10), colocou em pauta o julgamento da pro­posição assinada pelo conselheiro federal pela OAB-GO Leon Deniz Bueno da Cruz para a extinção da cláusula de bar­reira que impede que advogados com menos de cinco anos de registro na Ordem assu­mam cargos eletivos na instituição.

Em suas redes sociais, Leon aponta a Carta de Goiânia, redigida durante o Colégio de Presidentes de Subseções que, segundo ele, repudia projeto de lei que autoriza a efetiva participação da advocacia em início de carreira nas chapas das eleições da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção de Goiás (OAB-GO).

“Infelizmente, a articulação e contundente posição política do presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio, impede que os colegas com menos de cinco anos de inscrição na Ordem possam compor o Conselho Seccional da OAB, uma vez que é contra a derrubada da “cláusula de barreira”, escreveu Leon.

De acordo com o conselheiro, “esta conduta é um retrocesso e uma traição à advocacia jovem, uma vez que a derrubada da cláusula de barreira foi uma das promessas de campanha do atual presidente da OAB-GO e de seus aliados”.

Procurada através de sua assessoria, a OAB-GO ainda não se manifestou. O Jornal Opção aguarda posicionamento sobre as declarações.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.