Comissão investigativa encontra situação caótica no Ciams do Novo Horizonte

Primeira diligência da CEI da Saúde constatou falta de médicos na unidade e “desprezo” a pacientes

A primeira diligência da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Saúde, que investiga o caos na rede municipal de Goiânia, encontrou uma situação “caótica” e de “total desprezo e desrespeito” aos pacientes no Ciams Novo Horizonte, na Vila Novo Horizonte.

A avaliação é do presidente do colegiado, vereador Clécio Alves (PMDB), que comandou a visita na manhã desta segunda-feira (30/10). “Um balanço extremamente negativo, do ponto de vista da expectativa do que uma unidade daquele porte deveria estar desempenhando. Foram diversas irregularidades inaceitáveis e incompreensíveis”, adiantou.

Entre as falhas mais graves da unidade, que deveria estar absorvendo as demandas do Cais do Jardim América (fechado para reforma), está a ausência dos três médicos escalados para o plantão da emergência.

Segundo o vereador, nenhum deles apareceram para o trabalho. A justificativa da diretora da unidade seria que um foi descredenciado pela Secretaria Municipal de Saúde e os outros dois estariam de atestado. “O plantonista que entrou às 19 horas e deveria ter saído às 7, estava lá até 8h30 porque não tinha ninguém para quem entregar o plantão. É um absurdo”, afirmou.

Os integrantes da CEI se depararam, ainda, com pacientes desamparados: como um senhor de 60 anos que já tinha tido cinco infartos e acabara de ter o sexto, sem atendimento e sem medicação e uma senhora de 103 anos que precisava ser transferida para colocar um marca-passo e aguardava sem previsão.

“A secretária [Fátima Mrué] fechou o Cais do Jardim América e passou a demanda para o Ciams do Novo Horizonte. Disse que a população seria muito bem recebida, atendida, e não tem nada disso. Pelo contrário, o que vimos foi desprezo, descalabro com pacientes, uma situação absurda, inaceitável. Até o médico do plantão estava indignado com a situação”, lamentou.

Clécio Alves contou ainda que os vereadores foram desrespeitados pela responsável pela Vacinação no Ciams: “Bateu a porta na nossa cara, nos ofendeu.”

Nesta segunda-feira (30), ele se reunirá com o prefeito Iris Rezende (PMDB) e pedirá uma audiência com os integrantes da CEI. “Não é possível continuar esse desrespeito”, arrematou.

Toda a visita foi transmitida ao vivo pelo Facebook. Veja abaixo:

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Alziro Pinheiro

O principal problema da saúde pública é a omissão do poder público, ou seja, alguém pelo menos tem conhecimento se algum ministro do STJ ou desembargador de Tribunal, ou juiz de direito, antes de decidir, faz averiguações pessoalmente nos postos de saúde para vivenciar o caos na saúde pública, principalmente nas filas quilométricas de negativas de exames clínicos como prevê o novo código de processo civil de 2015? Acho que não, pois estão encastelados nos seus gabinetes.