Com presença de famílias que habitam ocupações, Despejo Zero é aprovado em 1ª votação

Aprovação da matéria foi comemorada com gritos de felicidade por parte dos que ocupavam a galeria do plenário da Câmara Municipal de Goiânia

Famílias e representares do MST, na galeria do plenário da Câmara Municipal de Goiânia | Foto: Gabriela Macêdo/Jornal Opção

Representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e famílias que habitam ocupações de Goiânia marcaram presença na Camargo Municipal de Goiânia, na manhã desta quarta-feira, 29, para acompanhar a apreciação do projeto do Despejo Zero, que foi aprovado em primeira votação. De autoria do vereador Mauro Rubem (PT), o objetivo é impedir despejos de famílias até o fim de 2021.

Durante a sessão plenária desta manhã, os vereadores aprovaram uma inversão de pauta para que o projeto fosse votado logo no início. De forma massiva e unânime, parlamentares deram apoio e trouxeram vibrações das pessoas que se aguardavam na galeria. Entre elas, de Luana Gomes, de 28 anos, que há quatro meses mora na ocupação Estrela Dalva. Com o recém-nascido Warley Vinícius no colo, que nasceu na ocupação, ela explica que a vida de morar em uma ocupação com filhos pequenos, sob constante ameaças de despejo, é preenchida de medo e preocupação da hora que acorda até a hora que vai dormir.

Esse sentimento não é diferente para Ludmila Rodrigues. Com 20 anos, mora na ocupação com o marido após ser despejada da casa onde alugava. Ainda que esteja na ocupação, ela não esconde a preocupação constante que a atormenta. “São 256 famílias só na ocupação Estrela Dalva. Mais de 900 pessoas. Já somos ameaçados uma vez de sermos expulsos, mas conseguimos quebrar a liminar. Com tantas famílias, sentimos muito medo de sermos expulsos, por que para onde levaremos tantas pessoas? Não temos para onde ir”, relata.

A palavra escolhida, tanto por Luana quanto por Ludmila, para definir esse apoio dos parlamentares, que resultou na aprovação em primeira votação do Despejo Zero, é esperança. Segundo elas, esperança de terem maior segurança e de conseguirem viver sem medo de amanhã não mais ter onde dormir ou até o que comer.

Impactado pela presença das famílias no local, o vereador Anselmo Pereira (MDB) ressaltou a importância de não esquecer esse tipo de luta, ainda que existam outras discussões no Parlamento. “Passamos dois meses discutindo como poderosos irão pagar seus impostos. mas o senhor traz a preocupação com pessoas que nunca tiveram nada e que ainda podem ser despejadas”, diz.

Ainda no plenário, o emedebista relembrou Mauro Rubem sobre a existência do loteamento Frei Galvão, que além de público e de domínio municipal, já obteve aprovação para ser destinado à habitação popular. No entanto, não vem sendo utilizado pela população. O petista então afirmou que irá buscar mais informações, por parte da Prefeitura de Goiânia, quanto ao loteamento e buscar novos lotes que estejam na mesma condição.

Mauro Rubem explica que, com a aprovação em primeira votação do Despejo Zero, mais um passo é dado para que seja garantida tranquilidade para mães e pais que habitam essas ocupações com seus filhos e demais familiares. Ele ainda relembra que o Despejo Zero segue para promulgação em âmbito federal para virar lei, após a derrubara do veto da Presidência da República ao projeto de nº 827/2020, por parte do Congresso Nacional.

“Essa é uma luta nacional que temos desde o início da pandemia. Agora Goiânia precisa se atualizar nesse mesmo propósito”, pontua o vereador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.