Com nove meses de atraso, Iris discute data-base de servidores

Reunião no Paço Municipal com o Sindigoiânia foi marcada para esta quarta-feira (31/1)

O prefeito Iris Rezende, deve finalmente discutir com o Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia (Sindigoiânia) o reajuste de salários aos servidores administrativos e operacionais. Uma reunião está marcada para esta quarta-feira (31/1), no Paço Municipal.

Por lei, o projeto deveria ter sido enviado no dia 1º de maio, mas os servidores municipais ainda não receberam o reajuste salarial, feito com base na inflação. Oficialmente, o argumento dos auxiliares de Iris é de que há risco de não cumprimento da folha salarial e, por isso, em 2017 não houve previsão de pagamento da data-base, mesmo com a obrigatoriedade legal. Em outubro, o prefeito anunciou que a discussão sobre o tema seria feita apenas este ano.

Inquérito

Um inquérito civil público, sob responsabilidade do promotor de Justiça Fernando Krebs, tramita desde de setembro e está travado aguardando resposta da prefeitura ao ofício. O promotor pede que a administração municipal esclareça os motivos pelos quais não enviou à Câmara Municipal projeto de lei concedendo reajuste aos funcionários públicos, bem como informações sobre qual o percentual do orçamento que atualmente é comprometido pela folha de pagamento.

O travamento ocorre já que a gestão de Iris ainda não encaminhou ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) esclarecimentos sobre o caso. A informação foi confirmada pela 57ª Promotoria de Justiça de Goiânia, responsável pelo processo.

A prefeitura, por meio da Secretaria de Finanças, chegou a solicitar em outubro do passado uma prorrogação do prazo, que inicialmente seria de 10 dias úteis, mas, três meses depois, até mesmo essa extensão já expirou.

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ziro

A solução é simples, privatiza tudo e reduz a carga tributária apenas para manutenção de serviços públicos básicos de qualidade como educação, saúde e as forças armadas. A sociedade privada não suporta mais pagar tantos impostos, taxas e etc, entroca de péssimos serviços públicos oferecidos por tiranossauros.

Júnior

Péssimo exemplo de gestor!! Faz tudo à
moda antiga, mandando e desmandando, como se a justiça fosse ele próprio!