Com LDO já aprovada, deputado indaga sobre o que acontece com mudanças nos recursos da UEG

“Vai direto para CCJ e depois plenário. Não tem condição dessa matéria não passar por aqui”, responde presidente da Comissão de Finanças, que pretende buscar respostas

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Durante Comissão de Tributação, Finanças e Orçamento, na Assembleia, o presidente Karlos Cabral (PDT) disse que o deputado Talles Barreto (PSDB) deu “um nó em sua cabeça” ao levantar uma discussão sobre o projeto que uniria os 2% de recursos da Universidade Estadual de Goiás (UEG) aos 25% da Educação.

O tucano lembrou que essa obrigação (dos valores separados) está prevista na Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) aprovada e questionou se essa não teria que ser mudada, caso houvesse aprovação da nova matéria.

Confuso, Cabral disse que contataria sua equipe para fazer o estudo. Ele citou que, essa matéria, de qualquer forma, não poderia ser votada antes da publicação da LDO. “Não sei se juridicamente há essa previsão. Vou sugerir ao líder [Bruno Peixoto (MDB)] para que a gente possa suspender a discussão da matéria”.

O pedetista, que considerou o questionamento oportuno, lembrou, ainda, que a matéria não seria discutida na Comissão de Tributação, que segundo ele é o local oportuno. “Vai direto para Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e depois para o plenário. Não tem condição dessa matéria não passar por aqui”, se preocupou depois da provocação do debate.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.