Com autorização judicial, Carlinhos Cachoeira retira tornozeleira eletrônica

Juiz ainda acolheu pedido da defesa e o contraventor porderá realizar viagens a trabalho e lazer

O contraventor Carlinhos Cachoeira retirou, na manhã desta terça-feira (21/8), a tornozeleira eletrônica que utilizava. Ele foi à Colônia Industrial do Regime Semiaberto, em Aparecida de Goiânia, por volta das 12h10, acompanhado pelo advogado, onde retirou o equipamento.

A decisão foi do juiz substituto Levine Raja Gabaglia Artiaga, da 3ª Vara de Execuções Penais de Goiânia que acolheu ainda o pedido da defesa para que Cachoeira possa viajar a trabalho por até três dias consecutivos e realizar viagens de lazer desde que tenha autorização prévia da Justiça.

Atualmente, o contraventor que foi condenado a seis anos e oito meses de prisão pela 29ª Vara Criminal do Rio de Janeiro por corrupção e fraude em licitação da Loterj, trabalha em uma empresa de distribuição de material hospitalar e farmacêutico em Aparecida de Goiânia.

Na decisão do Tribunal de Justiça de Goiás, o juiz argumentou: “O Estado tem o dever de punir e prevenir o crime e, em contrapartida, tem a obrigação de ressocializar e reintegrar o preso na sociedade. Podemos dizer que não adianta apenas castigar o indivíduo”.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.