Cliente denuncia que foi espancado por segurança de hipermercado em Goiânia

Suposta dívida de R$ 10 teria motivado violência. No Facebook, jovem relata momentos de extrema tensão

Reprodução

Uma suposta dívida de dois pães e um bolo no valor de R$ 10,14 teria causado momentos de extrema tensão para um cliente da rede de hipermercados Pão de Açúcar, em Goiânia. Em publicação no Facebook, o jovem afirma que foi brutalmente espancado pelo segurança da unidade localizada na Avenida T-63, na capital.

Conforme o relato, após selecionar os itens, ele foi ao caixa efetuar o pagamento, digitou a senha do cartão de débito, sendo confirmada a transação. “A impressora fiscal chegou inclusive a imprimir um papel que não me foi entregue”, relatou. Mesmo assim, segundo ele, o caixa informou que o sistema interno teria tido um problema e ele deveria fazer novamente o pagamento.

Ele, então, chamou a gerente e mostrou, em seu celular, o extrato do banco que confirmava a transação. A responsável, no entanto, disse que o valor seria estornado e reforçou o pedido para o segundo pagamento. Depois disso, o cliente resolveu deixar o local, mas acabou sendo seguido pelo segurança.

Comprovante de pagamento confirma transação

“O segurança chegou peitando, esbarrando, gritando e tentando impedir minha passagem. Quando menos espero, ele dá uma porrada nas minhas compras e jogou tudo no chão. O sangue subiu a minha cabeça e, quando me virei, já fui recebido com socos. Comecei a apanhar, recebendo porradas na cabeça e nas costas enquanto ele gritava ladrão e me chamava de bandido”, contou.

“Meio atordoado pelas pancadas, ouvi o segurança gritar pro PM que eu era bandido, e ele com toda o carinho do mundo exigiu que eu colocasse as mãos pra trás. Enquanto fui tentar calçar a sandália que havia sido arrancada enquanto eu apanhava, o PM achou que eu estava resistindo e me deu um rasteira. Caí com a cara no chão”, continuou mais à frente.

Por fim, o homem acabou sendo levado pela Polícia Militar para uma delegacia da capital, onde foi autuado por desacato, sendo liberado somente após pagamento de fiança no valor de um salário mínimo. (Confira a íntegra do relato abaixo)

Resposta

Em nota, o Pão de Açúcar informou que “tentou explicar ao cliente que sua primeira compra seria estornada em 72 horas e que, por essa razão, se fazia necessário passar o cartão uma segunda vez”, mas que o “consumidor se exaltou com o segurança local e as autoridades competentes o encaminharam à delegacia”.

“A rede continua à disposição do cliente para prestar novamente qualquer esclarecimento sobre o ocorrido”, finaliza o comunicado da empresa responsável pela assessoria do hipermercado.

5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Paulo

Absurdo. Segurança fdpt. Policial incompetente. Empresa corrupta.

Jeovane Marchese Martins

Vergonha! Uma das maiores redes de supermercados do Brasil, senão a maior, agir desproporcionalmente e dezarrazoavelmente. Falta de senso do gerente e do segurança. O que são R$ 10,14 para o Pão de Açúcar? No Pão de Açúcar o cliente não tem razão! É mais! Se protestar é espancado!

cleuza baptista

Pelo relato que acabo de ler, nota zero para o atendimento do Pão de Açúcar! Segurança totalmente despreparado, policial sem noção, e cliente idiota. Em seu lugar, eu cancelaria a compra!

indignado

Tem que ferrar está empresa com um pedido mínimo de indenização de um milhão por danos morais e danos pessoal
Um milhão de dólares viu gente!
Bando de incompetentes.

indignado

O cliente pagou sim tudo que levou quero ver esta empresa processada por este absurdo