Cinco pessoas são executadas na fronteira entre Brasil e Paraguai

Entre as vítimas está um vereador e filha do governador paraguaio e duas brasileiras. As polícias brasileira e paraguaia investigam os assassinatos

Carro em que as vítimas estavam | Foto: Redes sociais

Em menos de 24 horas, cinco pessoas foram mortas na região de fronteira entre Brasil e Paraguai. Entre as vítimas está Farid Charbell Badaoui Afif, de 37 anos, vereador de Ponta Porã, cidade sul-mato-grossense vizinha à paraguaia Pedro Juan Caballero; e Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de Ronald Acevedo, governador do estado de Amabai, no Paraguai. As polícias brasileira e paraguaia investigam os assassinatos e se há relação entre eles.

O vereador,  foi morto na tarde de sexta-feira, 8, quando andava de bicicleta. De acordo com a Polícia Civil, os tiros que atingiram o vereador foram disparados por uma pessoa que estava em uma motocicleta. No local foram recolhidos quatro munições de calibre ponto 45 e pelo menos um acertou o parlamentar, que morreu no local. Os policiais recolheram equipamentos de gravação de imagens para análise do que foi capturado em relação à execução.

Quatro pessoas mortas no início da manhã deste sábado, 9, foram atingidas por tiros quando saíam de uma casa noturna. Elas estavam em um veículo de placas do Paraguai e os atiradores, em uma caminhonete. Os suspeitos desceram, se aproximaram do veículo da vítima, atiraram e fugiram. Todos os baleados morreram no local.

Foram mortos: Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de Ronald Acevedo, governador de Amambai, no Paraguai, que foi atingida por seis tiros; Omar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos, conhecido como “Bebeto”, foi atingido por 31 tiros.

Entre os brasileiras estão: Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos, natural de Dourados, foi morta com 14 tiros e Rhamye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos, que foi morta com 10 tiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.