Jornal francês foi acusado de confundir islamismo com terrorismo na charge que abre sua nova edição

Jornal coleciona capas polêmicas | Foto: Reprodução

O jornal satírico francês Charlie Hebdo, conhecido mundialmente depois de ser alvo de um atentado terrorista, causou polêmica novamente com uma capa sobre o Islã. A charge foi feita após o ataque em Barcelona, na semana passada.

A imagem mostra uma van correndo depois de atropelar duas pessoas, que estão mortas no chão. Completam a capa os dizeres: “Islã, religião de paz… eterna”. Depois da liberação da nova edição, nesta quarta-feira (23/8), eles foram acusados de confundir uma religião inteira com o terrorismo.

Atentado

15 pessoas acabaram mortas em Barcelona depois que Younes Abouyaawoub, identificado como o autor do ataque, investiu contra pedestres no meio da rua. Neste primeiro momento, morreram 13 pessoas. Outras duas foram assassinadas depois, quando ele fugia do local do atentado.

O primeiro, Pau Pérez, de 34 anos, foi esfaqueado e morto quando Younes roubou seu carro para fugir e outra espanhola morreu em novo atropelamento na cidade de Cambrils.