“CEI não pode se tornar palanque”, declara Marconi após fala de aliado de Caiado

A convite de vereadores, ex-governador presta depoimento nesta sexta (20) à comissão especial que apura o caos na Saúde do município de Goiânia

Divulgação

Convidado para prestar depoimento na Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga caos na saúde municipal, o governador Marconi Perillo (PSDB) criticou possível tom eleitoral adotado por vereadores durante a reunião, nesta sexta-feira (20/4).

A crítica veio após fala do vereador e aliado do senador Ronaldo Caiado, Paulo Daher, ambos do DEM. O parlamentar democrata usou o tempo de 10 minutos para fazer críticas à gestão de investimentos na Saúde no Estado, mesmo o colegiado se atendo estritamente à administração do município.

Durante fala, Paulo Daher chegou a reconhecer a excelência dos hospitais regionais e emendou críticas genéricas sobre o funcionamento das unidades e a quantidade de hospitais no Estado, além de questionar o sistema de regulação, gerido pela administração municipal.

“Não vim para debate político-eleitoral. Esta CEI não pode virar palanque. Não sei a qual Estado do País o vereador se refere, pois Goiás não é”, respondeu Marconi.

O ex-governador, então, apresentou uma série de número e gráficos que apontam avanços na Saúde no Estado de Goiás. Quanto aos ataques, o tucano lembrou que, quando assumiu, Goiás possuía sete hospitais regionais e hoje 24.

Sobre a crítica de que os hospitais do Estados funcionam de “portas fechadas”, Marconi reforçou que o sistema de regulação é adotado pela própria Prefeitura de Goiânia e destacou que houve e há interesse da gestão em realizar mudanças no sistema.

“A prefeitura hoje é quem cuida da regulação. Acho que a CEI deveria discutir esse assunto a fundo. Passa para o Estado. Nosso grupo assume. Nós assumimos”, desafiou Marconi.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.