Procuradoria da Câmara aguarda um posicionamento do Paço Municipal sobre as emendas propostas pelo Fórum Sindical

Divulgação

Nesta manhã de quinta-feira (16/8) servidores do município e lideranças sindicais lotaram a galeria da Câmara na expectativa de acompanhar a votação do projeto de lei que trata da reforma do IPSM. O projeto. entretanto, não foi colocado em pauta pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

O coordenador geral do Sindicato Municipal dos Servidores da Educação de Goiânia (Simsed), Antônio Gonçalves, usou a tribuna para criticar a matéria e os métodos utilizados pelo Executivo para conseguir a aprovação. De acordo com ele, a prefeitura tem feito chantagem com o funcionalismo público, alegando que nenhuma reivindicação será atendida sem a aprovação do projeto.

A presidente da CCJ, vereadora Sabrina Garcêz (PTB), disse que poderá convocar sessão extraordinária ainda nesta sexta-feira (17) para votar a reforma. “Estamos aguardando o parecer da Procuradoria da Câmara e um posicionamento do Paço Municipal sobre as emendas propostas pelo Fórum Sindical”, disse.

Segundo ela, a discussão não deve passar da próxima quarta-feira, dia 22. O relatório do vereador Wellington será apreciado e, sendo aprovado ou não, segue para plenário.
“Nós da CCJ estamos tentando construir uma proposta que não prejudique os servidores, porém que a prefeitura também consiga fazer a reestruturação do Instituto”, assegurou.