CCJ aprova criação de banco de dados sobre violência contra LGBTs em Goiás

Proposta do deputado Karlos Cabral (PDT) permitirá avaliação mais consistente dos crimes cometidos e perfil das vítimas

Foto: Y. Maeda / Alego

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) aprovou nesta terça-feira (20/6) o projeto de lei que propõe a criação de um banco de dados, por parte da Secretaria Estadual de Segurança Pública, sobre violência praticada contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTs).

A proposta é do deputado estadual Karlos Cabral (PDT) e já se encontra apto à deliberação do Plenário da Assembléia Legislativa de Goiás.

Segundo o parlamentar, o Registro de Atendimento Integrado (RAI), assim como os boletins de ocorrência feitos nas delegacias de polícia, precisa ser mais abrangente sobretudo nas anotações dos nomes das vítimas, a orientação sexual e as causas das agressões.

“A coleta de dados será muito importante e valiosa para se ter uma estatística verdadeira da situação. Os dados coletados permitirão fazer uma avaliação mais consistente dos crimes cometidos e do perfil das vítimas, garantindo uma melhor ação preventiva por parte dos órgãos de segurança”, defende o parlamentar.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.