Caso Semas: delegado trabalha com possibilidade de crime de fraude à licitação

Sabão em pó enviado à Secretaria Municipal de Assistência Social de Goiânia não tem características do produto

Foto: Reprodução

A Polícia Civil informou, por meio de nota, nesta sexta-feira, 14, que foi lavrado um boletim de ocorrência sobre o caso da carga de sabão enviada à Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) de Goiânia. De acordo com a polícia, foram apreendidos 181 sacos plásticos de sabão em pó, com 5 kg cada, sendo que, destes, seis foram enviados para exame pericial bioquímico no produto e rótulo.

Conforme atestado pela perícia preliminar, o produto recebido na Semas não é sabão em pó, nem sal. Entretanto, a Polícia Civil reitera que somente o laudo pericial irá atestar de que produto se trata.

O caso segue sendo investigado na Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap) pelo delegado Ricardo de Pina, que deverá solicitar o contrato de licitação do produto à Secretaria Municipal de Administração, responsável pela compra licitatória do sabão encaminhado para a Semas, no dia 18 de março. A princípio, o delegado trabalha com a ocorrência de um possível crime de fraude à licitação.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.