Caso Bento: Câmara Municipal debate autismo e preconceito na educação

Audiência pública, convocada por Sabrina Garcez para discutir essa questão, será nesta segunda-feira, 21

A vereadora Sabrina Garcez propôs audiência pública para discussão sobre autismo e preconceito na educação. O debate vem à tona, após o caso do menino Bento, de 9 anos, que teve a matricula cancelada neste mês em uma escola particular da capital. A audiência será nesta segunda-feira, 21.

“Isso aconteceu mesmo com a existência da Lei 12.774/217, que determina que estudantes autistas têm direito ao acompanhamento especializado nas escolas, se necessário”,  comenta a vereadora sobre o caso do Bento.

A defesa das pessoas no espectro autista e o acesso à educação são pautas fundamentais da ação política de Sabrina Garcez. Ela é a criadora da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA), instituida ainda no seu primeiro mandato, em 2017.

Foram convidados para participar da Audiência Pública  representantes do Núcleo de Apoio e Inclusão do Autista – NAIA, Secretaria Municipal de Educação, Conselho Municipal de Educação, Conselho Estadual de Educação, Ministério Público,
Sinpro, Sinepe e Comissão Especial de Defesa dos Direitos das Pessoas Autistas do Conselho Federal da OAB.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.