Campanhas de Dilma e Lula podem ter recebido quase R$ 10 milhões em “caixa 2”

Reportagem da Veja afirma que dono da UTC confirmou ainda repasses ilegais, em delação premiada, para outros 16 políticos 

Dilma e Lula: citados na Lava Jato |  Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Dilma e Lula: citados na Lava Jato | Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

A edição da revista “Veja” desta semana mostra que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula (ambos do PT) podem ter recebido quase R$ 10 milhões no suposto esquema de propina deflagrado pela Operação Lava Jato.

A informação foi confirmada pelo engenheiro Ricardo Pessoa, dono da construtora UTC, em delação premiada na última semana. Tido como chefe do Clube das Empreiteiras, como é conhecido o cartel de empresas ligadas à Petrobras, ele explica como teria financiado despesas de 18 políticos, tidos como “coroados da República”.

Segundo a reportagem de Veja, a presidente Dilma Rousseff teria recebido R$ 7,5 milhões para a campanha de 2014; já Lula teria embolsado R$ 2,4 milhões para a campanha à reeleição de 2006. Esta é a primeira vez que um preso da Operação Lava Jato confirma repasses ilegais aos petistas-chefes.

Além deles, o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, os senadores Aloizio Nunes (PSDB-SP), Benedito de Lira (PP-AL), Edison Lobão (PMDB-MA), Fernando Collor (PTB-AL), Gim Argello (PTB-DF), Ciro Nogueira (PP-PI), os deputados Julio Delgado (PSB-MG), José de Fillipi (PT-SP), Arthur Lira (PP-AL), Dudu da Fonte (PP-PE) e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

Até agora, apenas o governo se manifestou sobre o caso.

Resposta

Leia a nota do PT, na íntegra:

“A Secretaria de Finanças do PT informa, por intermédio de sua assessoria de imprensa, que todas as doações recebidas pelo partido aconteceram estritamente dentro da legislação vigente e foram posteriormente declaradas à Justiça.”

Leia a nota de Edinho Silva, na íntegra:

“O Ministro Edinho Silva esteve com o empresário Ricardo Pessoa por 3 vezes para tratar de doações de campanha. A primeira, quando o conheceu, foi quando o empresário esteve no comitê da campanha em Brasília. O empresário, após o primeiro contato, organizou o fluxo de doações em 3 parcelas que totalizaram 7,5 milhões de reais. O Ministro Edinho jamais tratou de assuntos relacionados a qualquer empresa, ou órgão público com o referido empresário. As contas da campanha presidencial de Dilma Rousseff foram auditadas e aprovadas por unanimidade pelo Tribunal Superior Eleitoral.
Assessoria de Imprensa do Edinho Silva”

Leia a nota de Aloizio Mercadante, na íntegra:

“Tendo tomado conhecimento, nesta sexta-feira, 26, por meio de veículos de imprensa, sobre suposta citação ao meu nome em delação premiada do senhor Ricardo Pessoa, presidente da UTC, tenho a esclarecer que:
1. Desconheço o teor da delação premiada do senhor Ricardo Pessoa;
2. A empresa UTC, por ocasião da campanha ao Governo do Estado de São Paulo, em 2010, fez uma única contribuição, devidamente contabilizada e declarada à Justiça Eleitoral, no valor de R$ 250 mil reais, conforme demonstrado em minha prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral. Essa doação foi feita em 27 de agosto de 2010, com recibo eleitoral nº 13001092079.
3. A empresa Constran Construções, que pertence ao mesmo grupo, fez uma contribuição, também devidamente contabilizada e declarada à Justiça Eleitoral, no valor de R$ 250 mil reais, conforme demonstrado em prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral. Essa doação foi feita em 29 de julho de 2010, com recibo eleitoral nº 13001092017.”

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.