“PMDB não quer o impeachment. Vai aprovar o parlamentarismo”, diz presidente do PHS

Eduardo Machado diz que este é o caminho mais curto para o partido. Caso concretizado, novo sistema pode alçar Cunha a primeiro-ministro

Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

“O caminho mais curto é o parlamentarismo, porque se for aprovado, será Michel Temer, Eduardo Cunha ou Renan Calheiros o novo chefe do Governo. Um dos três”, garantiu Eduardo Machado| Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

O presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), têm se articulado na Casa para tramitar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que propõe a implantação do sistema parlamentarista no Brasil. O projeto, de autoria do deputado Roberto Freire, presidente do PPS, foi apresentado há alguns anos, e agora foi desengavetado.

Em entrevista ao Jornal Opção Online, o presidente do PHS, Eduardo Machado, garante que o projeto é mais interessante ao PMDB do que apoiar o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Eduardo Machado afirma que o PMDB quer o poder — “Assim como todos querem”, disse –, mas que a melhor forma não é retirar a presidente do cargo. “O caminho mais curto é o parlamentarismo, porque se for aprovado, será Michel Temer, Eduardo Cunha ou Renan Calheiros o novo chefe do Governo. Um dos três”, garantiu.

Conforme o político, em um processo eleitoral de voto direto é inimaginável os três peemedebistas citados vencendo. Mas com o parlamentarismo, segundo Eduardo, o PMDB coloca quem quiser como chefe do governo. “Eu não falo isso só por acreditar, mas porque tenho acompanhado as discussões. Acredito que o parlamentarismo acontecerá”, disse.

O presidente do PHS afirma que um impeachment não teria sucesso porque precisaria de um número de votos que, com o PT e PMDB juntos, não seria possível. Crente de que o PMDB estaria junto com Dilma, Eduardo explica que se encontrou com o vice-presidente Temer há poucos dias, e que o peemedebista está “100% em sintonia com a presidente”. Segundo Eduardo, por mais que Cunha seja forte e queira Dilma fora do cargo, Temer “é a voz maior no PMDB.”

Eduardo Machado afirma não ter dúvidas de que o projeto será aprovado, pelo fato de ser do interesse de todos os parlamentares. A proposta prevê que o parlamentarismo seja instituído ao fim do atual governo, com o objetivo de provar que projeto não possui viés “golpista”, como já foi dito por Roberto Freire.

Deputados que apoiam a mudança do sistema não precisam se preocupar com prováveis tentativas do governo federal de frustrar a aprovação do projeto, conforme explicou Eduardo Machado à reportagem. Segundo o presidente do PHS, este tipo de projeto é do interesse dos deputados, e por isso os políticos votarão de forma pessoal, sem seguir instruções partidárias. “É igual o caso da janela política, por exemplo”, explicou.

De acordo com ele, para um político comandar o Brasil precisará do votos dos deputados federais e senadores, que passarão a ser “super valorizados”. “Será que eles querem isso ou não? Baseado em todos que eu já conversei e que conheço, todos são a favor”, pontuou.

Uma resposta para ““PMDB não quer o impeachment. Vai aprovar o parlamentarismo”, diz presidente do PHS”

  1. Denis Robson disse:

    Temos que limar esses dois partidos PT E PMDB,a tampa e a panela!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.