Câmara derruba veto de Iris a projeto que institui prazos de atendimento no SUS

Proposta de autoria de Elias Vaz (PSB) determina que pacientes esperem no máximo 15 dias para fazer exames, 30 dias para consultas e 60 para cirurgias eletivas

Foto: Eduardo Nogueira/ Câmara Municipal

A Câmara Municipal derrubou, por unanimidade, o veto do prefeito Iris Rezende (PMDB) a projeto que estabelece prazos de atendimento na rede pública de saúde. A proposta determina que o paciente espere no máximo 15 dias para fazer exames, 30 dias para consultas e 60 para cirurgias eletivas.

Para o autor da proposta, vereador Elias Vaz (PSB), a derrubada diminui  o sofrimento do cidadão e os gastos do município. “Tratar uma doença precocemente representa mais chances de cura ao paciente e economia para o poder público. Não é uma solução mágica, mas precisamos trabalhar com metas”, afirmou ele.

“A Câmara hoje mostrou que não é omissa diante da questão da saúde e quer garantir esse direito à população”, defendeu Elias. Para o vereador Alysson Lima (PRB), este é um dos projetos mais importantes que já foram apresentados na Casa. “Ele garante proteção às pessoas que precisam de atendimento de saúde”, declarou.

Além de estabelecer prazos gerais, a proposta reduz pela metade a espera nos casos de quem tem doenças graves e de crianças de até 12 anos. Quem tem necessidades especiais e gestantes terão que ter suas consultas agendadas em até três dias úteis, a menos que seja necessária a internação imediata. No caso dos pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e emergência e urgência, o atendimento segue sendo imediato.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.