Câmara dos Deputados discute projetos que criminalizam apologia à ditadura

Propostas em análise na Casa consideram crime defender e elogiar a ditadura militar

Foto: Reprodução

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados discute nesta quarta-feira, 16, a criminalização da apologia à ditadura militar. O debate foi proposto pelo deputado Túlio Gadêlha (PDT-PE), que é o relator de um projeto que torna crime, punível com detenção de até seis meses, fazer apologia ao retorno de ditadura militar ou a pregação de novas rupturas institucionais (PL 908/15).

O projeto tramita apensado a outros quatro, que tipificam o crime de apologia ao regime da ditadura militar e à tortura, e que proíbe comemorações do golpe militar no âmbito da Administração Pública Federal (PLs 10914/18, 1798/19, 1835/19 e 2301/19).

Propostas em análise na Câmara consideram crime defender e elogiar a ditadura

“Em meio à essa onda crescente de negacionismo histórico que grassa nas redes sociais em torno de nosso passado histórico recente e por conta do atual momento de intensa polarização política, acreditamos que a audiência poderá contribuir para dirimir algumas dúvidas quanto à possível criminalização de atos que façam apologia à ditadura militar ou que promovam comemorações alusivas ao golpe de 1964”, afirma Gadêlha.

Debatedores

Foram convidados para discutir o assunto com os parlamentares, entre outros: o procurador da República Sérgio Suiama, que acompanhou diversos processos relativos à violação dos direitos humanos ocorridos durante o regime militar; a antropóloga e professora da Universidade de São Paulo (USP) Lilia Schwarcz; e o historiador e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Carlos Fico. (Com informações da Agência Câmara Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.