“Caixa ou Banco do Brasil poderiam autenticar documentos de graça”, diz Paulo Trabalho

Deputado estadual do PSL reconhece a existência de uma suposta máfia dos cartórios em Goiás que cobram até R$ 40 por uma autenticação

Deputado Estadual Paulo Trabalho | Foto: Fábio Costa / Jornal Opção

O deputado estadual Paulo Trabalho (PSL) vai pautar a discussão sobre os altos preços cobrados por cartórios em diversos serviços, como autenticação de documentos e reconhecimento de firma, os mais requisitados no dia-a-dia do cidadão.

Alguns cartórios em Goiás chegam a cobrar R$ 40 para autenticar uma folha de documento. “Um cidadão que leva um contrato para ser autenticado num cartório, por exemplo, sai de lá gastando quase R$ 400 pelo serviço”, lamenta o parlamentar. A discussão foi levantada há poucos meses pelo deputado federal José Nelto (Podemos), após a dúvida de uma suposta máfia operar os cartórios do Estado.

O trabalho mais simples e rápido de autenticação de documentos poderia ser oferecido gratuitamente por instituições públicas de grande fé pública, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica, como sugere o deputado estadual. “Talvez cobraria-se uma pequena taxa. Mas não essa exploração que se tem hoje”, frisa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.