Governador teve acesso ao Fundo Constitucional do Centro-Oeste que deve ser destinado à instalação de empresas em áreas menos desenvolvidas

O governador Ronaldo Caiado (DEM) esteve reunido na tarde desta quarta-feira, 27, com o superintendente estadual do Banco do Brasil, Felipe Zanella, quando teve acesso ao Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) em Goiás e propôs “parceria total”.

Na visão de Caiado, Goiás merece ser tratado como prioridade pelo banco, por ter índice de inadimplência da 0,5%. A ideia dele é que o dinheiro do FCO chegue ao pequeno agricultor, ao produtor rual e aos empresários por todo Estado.

“Onde for identificada a necessidade, nós estaremos presentes levando informação, estrutura e recursos para que haja o desenvolvimento, seja rural ou urbano. O objetivo é o crescimento econômico do Estado e a melhoria de vida das pessoas”, disse o superintendente.

FCO

Diante do acesso ao FCO, o governador colocou como meta para 2019 o foco na aprovação de Cartas Consultas de empresas que estão, ou pretendem, se instalar em áreas menos desenvolvidas do Estado.

O objetivo seria levar investimento para o Norte e Nordeste goiano. A própria regulamentação do FCO, traz uma determinação de que pelo menos 12% do valor total do fundo sejam aplicados nas regiões Nordeste e Oeste.

Wilder Morais lembrou que a previsão orçamentária para este ano destinará cerca de R$ 3 bilhões para Goiás. Na reunião desta tarde, explicou, foram definidas as metas de investimento.

O FCO é um fundo de crédito destinado à região Centro-Oeste do país. Atualmente Goiás possui parcela de 33% do total. O restante é dividido da seguinte forma: 33% para o Mato Grosso, 24% para o Mato Grosso do Sul e 10% para o Distrito Federal. A previsão orçamentária para este ano é de R$ 7.031.694.949.

(Com informações da assessoria do Governo do Estado).