Brasil tem “classe política de excelência”, diz Gilmar Mendes

Ministro do Supremo Tribunal Federal defendeu que, sem habilidade e qualidade dos políticos brasileiros, não teríamos quadro de normalidade institucional

Foto: Rosinei Coutinho-SCO-STF

“Não se realiza nem se desenvolve democracia sem política e sem políticos”, declarou ele | Foto: Rosinei Coutinho-SCO-STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, defendeu nesta terça-feira (29/11) a classe política brasileira, sem a qual, segundo ele, não haveria a segurança institucional que hoje se observa no país.

Ele discursou durante a abertura de um evento organizado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para debater a reforma política. “O Brasil, apesar dos pesares, de todos os problemas, logrou produzir uma classe política de excelência”, afirmou o magistrado.

“Estamos prestes a celebrar 30 anos da Constituição de 1988, num quadro de normalidade institucional, isso também graças à habilidade e à qualidade de nossos políticos”, disse Mendes. “Não se realiza nem se desenvolve democracia sem política e sem políticos”, acrescentou.

Em seguida, Mendes foi a uma audiência pública na Câmara sobre o mesmo assunto, reforma política, onde criticou o sistema de financiamento somente por pessoas físicas, utilizado pela primeira vez nas eleições municipais deste ano. O presidente do TSE disse ser “evidente” que houve o uso de números de Cadastro de Pessoa Física (CPF) de laranjas para alimentar o Caixa 2 de campanhas.

Ele afirmou ainda que, na sua convicção, a Operação Lava Jato, responsável por expor as “entranhas” dos sistema financeiro da política brasileira, irá obrigar a uma mudança no sistema eleitoral.

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Gustavo Henrique

depois da aprovação ontem na calada da noite, com certeza temos classe politica de excelencia, que protege os seus proprios interesses

Lita Carneiro

Menos mal. O ministro reconhece a importância da Operação Lava-Jato.