Brasil deve conseguir vacinar todos os adultos primeiro que os Estados Unidos

Um dos motivos que ajudam o país a alcançar essa meta é a cultura de vacinação que existe nos países latinos americanos

Segundo uma pesquisa levantada pela Our World in Data, conduzido pela Universidade de Oxford, se o Brasil mantiver o ritmo de vacinação atual, ele conseguirá vacinar 100% dos adultos antes dos Estados Unidos. Os dados mostram que nos últimos dois meses, o Brasil vacinou mais de 1 milhão de pessoas por dia e desde o dia 11 de agosto, ocupa a terceira posição dos países que mais aplicam doses no mundo, atrás da China e da Índia, apenas.

Para conseguir esse feito, o Brasil tem que manter o recorde de mais de 2 milhões de doses aplicadas diariamente por pelo menos 21 dias. Com isso, os 41,6 milhões adultos que ainda faltam vão conseguir receber pelo menos a primeira dose. Ontem, domingo, 22, o país conseguiu vacinar 122.830.226 de pessoas. Isto é, mais de 74% do total de pessoas com 18 anos ou mais no país receberam ao menos a primeira dose.

Mesmo iniciando o processo de vacinação antes do Brasil, os Estados Unidos estão enfrentando um forte negacionismo vindo de sua população. A última vez que os norte-americanos conseguiram vacinar cerca 1 milhão de pessoas no mesmo dia, foi no dia 4 de julho, feriado da Independência do país.

Desde então, a média de aplicação de doses do EUA tem sido de 789 mil imunizantes diários. Isso corresponde, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, a 73% da população com mais de 18 anos que está imunizada ao menos com a primeira aplicação.

Uma das principais razões pelo avanço brasileiro seria a cultura de se vacinar que está presente nos países latino americanos. Se vacinar é uma ação presente no consciente brasileiro. Enquanto que os Estados Unidos não têm esse costume e por isso, o país enfrenta uma forte onda de negacionismo em relação a se imunizar contra o vírus Sars-Cov 2.

*Com informações do Correio Braziliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.