Brasil cai no ranking de Liberdade de imprensa

Levantamento feito pela ONG Repórteres sem Fronteiras revelou que este ano está sendo o mais hostil em relação à prática jornalística no país

O Brasil aparece na 105º colocação no ranking mundial de liberdade de imprensa. O resultado foi anunciado nesta quinta-feira, 18, pela ONG Repórteres sem Fronteiras, no ano passado, o país ocupava o 102º lugar. Segundo a Folha de São Paulo, a eleição de Jair Bolsonaro e o assassinato de jornalistas seriam os motivos da perda de três posições na lista.

Com a nova colocação, o Brasil fica próximo à chamada zona vermelha, ao lado de países em que a situação é difícil para a imprensa, como a Venezuela, por exemplo. A Noruega aparece na 1ª colocação, e o Turcomenistão, em último.

De acordo com a ONG, o número de países em que em que os jornalistas podem exercer sua atividade profissional com total segurança continua a cair, ao passo que os regimes autoritários reforçam seu controle sobre os meios de comunicação.

O Repórteres sem Fronteiras diz ainda, que este ano está sendo o mais hostil em relação à prática jornalística. “A hostilidade contra os jornalistas, e até mesmo o ódio transmitido em muitos países por lideranças políticas, resultou em atos de violência mais graves e frequentes, que aumentam os riscos e, como resultado, geram um nível de medo inédito em determinados lugares”, afirma a ONG.

O ranking mundial de liberdade de imprensa foi divulgado na mesma semana em que o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a retirada do ar de reportagens sobre o presidente da corte, Dias Toffoli. Dessa forma, temos um exemplo concreto e recente dos motivos que levaram o Brasil a perder colocações em termos de liberdade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.