Bolsonaro processa Jean Wyllys por calúnia e injúria

Em entrevista no ano passado, deputado do PSOL teria se referido ao colega como “fascista”, “racista”, “corrupto” e “ignorante”

Deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) | Fotos: Reprodução / Agência Câmara

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF), uma queixa-crime contra o também deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), por calúnia e injúria. A informação foi publicada nesta quarta-feira (14/2) pelo jornal O Globo.

O pedido é baseado em uma entrevista do socialista ao jornal “O Povo”, em agosto do ano passado, na qual ele utiliza termos como “fascista”, “racista”, “burro”, “corrupto”, “ignorante”, “desqualificado” e “canalha”, sem citar diretamente Bolsonaro.

O advogado do deputado do PSC, Gustavo Bebianno Rocha disse ao Globo que, apesar de seu cliente não ter sido citado diretamente, Wyllys teria deixado claro que se referia a ele ao mencionar seu antigo partido, o PP, e por mencionar que muitas pessoas o chamam de “mito”.

O advogado afirmou que a “ação, deliberada e gratuita, revelou uma vontade específica de magoar e ferir o amor-próprio” do parlamentar. A queixa também pede afastamento da imunidade parlamentar de Wyllys sob o argumento de que as declarações não tiveram relação com seu mandato.

A respeito da entrevista, em janeiro a Justiça negou um pedido para que fosse retirada do ar. O atual processo foi distribuido ao ministro Celso de Mello, que decidirá se aceita ou não a queixa-crime.

Deixe um comentário