Bolsonaro nomeia Victor Godoy como novo ministro interino do MEC

Decisão veio após o ex-ministro, Milton Ribeiro, pedir demissão na segunda-feira, 28

O Ministério da Educação (MEC) será comandado interinamente por Victor Godoy Veiga. A decisão do presidente Jair Bolsonaro (PL), foi publicado na edição desta quarta-feira, 30, do Diário Oficial da União. Com isso, Veiga se torna o quinto ministro da Educação do governo de Bolsonaro.

O até então ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu demissão na segunda-feira, 28, após a divulgação de um áudio pelo Folha de S. Paulo, na qual Ribeiro afirma liberar verbas da pasta por indicação de dois pastores a pedido de Bolsonaro. Os pastores a que o ministro se refere na gravação são Gilmar Santos, presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil Cristo Para Todos (Conimadb), e Arilton Moura, ligado à Assembleia de Deus.

Victor Godoy Veiga, ocupava o cargo de secretário-executivo do Ministério da Educação, 2º cargo mais importante na pasta. Formado em Engenharia de Redes de Comunicação de Dados pela Universidade de Brasília (UnB), ele possuiu duas pós-graduação, sendo uma em Altos Estudos em Defesa Nacional pela Escola Superior de Guerra (ESG) e outra em Globalização, Justiça e Segurança Humana pela Escola Superior do Ministério Público.

Além do cargo de secretário-executivo, Veiga já atuou como auditor na Controladoria-Geral da União (CGU) e como diretor de área que auditava o MEC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.