Bolsonaro, Malafaia e Feliciano: o trio que justifica que se discuta violência contra a mulher

Há uma ala de políticos e religiosos que insiste em puxar o Brasil para trás, por isso, o Enem acertou em cheio na escolha do tema da redação

Bolsonaro, Malafaia e Feliciado: o trio do atraso | Fotos: Jornal Opção / reprodução de um vídeo / Agência Câmara

Bolsonaro, Malafaia e Feliciano: o trio do atraso | Fotos: Jornal Opção / reprodução de um vídeo / Agência Câmara

Não dá para acreditar que, em pleno século 21, já passada mais da metade de sua segunda década, ainda tenhamos de discutir “violência contra a mulher” como tema educativo em um exame para ensino superior.

A discussão em torno da prova do Enem, entretanto, me mostra que, sim, precisamos ainda falar muito sobre isso.

Há uma ala de políticos e religiosos que insiste em puxar o Brasil para trás. O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e o pastor Silas Malafaia são os símbolos máximos dessa força ridícula, cujos tentáculos, unidos, formam a figura de Marco Feliciano (PSC-SP), o deputado-pastor.

Os evangélicos têm muita coisa boa para oferecer ao Brasil. Mas isso não passa pelo pensamento de gente como Feliciano e Malafaia. Sobre Bolsonaro? Nada a declarar, porque quem o conhece e o defende depois de tudo o que diz não tem mais “conserto”.

13 respostas para “Bolsonaro, Malafaia e Feliciano: o trio que justifica que se discuta violência contra a mulher”

  1. Avatar Deolinda Taveira disse:

    São três cavalgaduras,Infelizmente.

  2. Avatar Amilson Lourenço disse:

    Mas quanto ao tema diversidade sexual abordada em uma das questões do Enem, têm razão em contestar. Em prova de múltipla escolha, acho que não se deve colocar questões cujas respostas são subjetivas; não se pode exigir que o aluno pense igual ao examinador em relação ao tema, que, como afirmei, cada pessoa pensa de acordo com seus valores e consciência. Não se pode exigir que o aluno concorde que “mulher não nasce mulher”, pois isso é doutrinação e fere o direito de li de expressão da opinião. Da mesma forma, questões de cunho ideológico não de em ser abordadas.

    • Avatar Júnior Bueno disse:

      A frase “Não se nasce mulher, torna-se” quer dizer exatamente que tudo que se concebe sobre o que é feminino é culturalmente construído, tem um parágrafo inteiro desse texto na prova, não tem dada de “mulher não nasce mulher.” O livro O segundo sexo, de Simone de Beauvoir, que aliás foi escrito em 1949 e tem todo um embasamento no existencialismo e não é uma “opinião da autora,” é uma teoria de uma das maiores pensadoras do século XX. Vamos nos informar antes de emitir este tipo de comentário?

    • Avatar Diana Cardoso disse:

      Bom, eu penso que eram questoes de interpretacao e nada mais…vc pode sim ter todo um insight do tipo pq foi abordado isso?Qual o objetivo…
      Essa questao por exemplo,pedia pra marcar a resposta que contivesse as caracteristicas nas quais a autora se baseou.Simplesmente.De cunho ideologico?Obviamente.Vivemos em uma sociedade e consequentemente temos toda uma cultura.A diferenca e que tais ideologias nao sao mais impostas abertamente,digamos assim,mas atraves de midias e tradicoes,possibilitando a faculdade de escolha.

  3. Avatar Carlos Augusto disse:

    Você nem sabe o que fala cara, se Balsonaro, Feliciano e Malafaia não estivessem contra essa leis de libertinagem que se tornou o Brasil o país estava pior do que esta.

  4. Avatar MARCIO ANTONIO DOS SANTOS disse:

    NUNCA OUVI O MALAFAIA E O FELICIANO DIZEREM QUE SÃO A FAVOR DE AGRESSÕES CONTRA MULHERES, O QUE ELES DEFENDEM É QUE UMA MINORIA NÃO PODE IMPOR SEU MODO DE VIDA COMO OBRIGAÇÃO DE COMPORTAMENTO DA MAIORIA DA POPULAÇÃO, O QUE PASSA DAÍ JÁ É PRECONCEITO RELIGIOSO, QUANTO AO BOLSONARO ELE É VISIVELMENTE MALUCO.

    • Avatar Epaminondas disse:

      VAMOS ESCREVER COM CAPS LOCK TRAVADO PARA TER PESO NO QUE É DITO.

      Malafaia e Feliciano nunca disseram ser a favor de agressões contra as mulheres, mas se seguem a Biblia, que tem passagens edificantes como 1 Timóteo 2:11-14. E não será difícil encontrar eles defendendo a sujeição das mulheres aos seus maridos.

      Mas na medida que você nunca viu os dois defendendo agressão contra a mulher, eu nunca vi a tal “minoria”, “impor seu modo de vida”, “como obrigação”.

      Reconhecer direito civis da união homoafetiva não me obrigará a ser gay. Eu não sei de onde os que são contra, tira esta ideia estapafúrdia.

      Deve ser medo de se sentirem balançados.

  5. Avatar Adelber Amaral disse:

    É assustadoramente impressionante como representantes do poder legislativo não conseguem interpretar corretamente uma questão de um exame nível médio e criam todo um circo, com direito a especulações de doutrinação e pirotecnia encima de uma interpretação equivocada. Boçalnaro chegou a compartilhar em sua página de rede social uma questão que trazia um texto de Simone de Beauvoir, pegando metade da frase e atribuindo a ela a interpretação equivocada que justificasse a teoria conspiratória circense do mesmo, triste. São exemplos claros de ‘políticos-folclóricos’ e que infelizmente/assustadoramente recebem muito apoio… Realmente a política brasileira está cada vez mais decadente.

  6. Avatar Telmo disse:

    Lamentavelmente quando politicos atacam a laicidade aumenta a discriminação e a violência como vemos nas pesquisas abaixo:
    http://saudepublicada.sul21.com.br/2015/08/31/religiao-e-laicidade-discriminacao-e-violencia/

  7. Avatar Daniel Muñoz disse:

    Bolsonaro todos os homens do brasil estão com o sr. Cada chefe de família e cada braço armado esta com o Sr. No que depender dos agentes penitenciários, seguranças, policiais, militares, bombeiros, caminhoneiros, agentes de segurança, açougueiros, eletricistas enfim todo homem de verdade esta com o sr deixe a esquerda se cercar de veados e mariquinhas vamos ver quem ganha no final. Lembre-se ameaçaram agente vamo ver pra que lado s guilhotina vai cortar

  8. Avatar Epaminondas disse:

    Confesso que não acompanhei o melindre, mas o que estes três patetas teve a ver com o tema do ENEM? Eles foram contra?

    Se foi o caso, eles podem ser contra até a separação dos continentes ou da evolução das espécies, que isto não muda nada em lugar nenhum. Como menos ainda, muda alguma coisa só porque é tema de redação do Ah,NEM, digo, ENEM.

    Mas o Jornal Opção, ao selecionar o trio calafrio, poupou o goianíssimo João Campos, um dos mais atuantes na bancada evangélica. Não entendi exatamente no que ele difere para não ser um dos quatro cavaleiros do apocalipse do pensamento retógrado supersticioso.

  9. Avatar Ticomi seucú disse:

    Jornalzinho falido. Vai arranjou emprego pois vc é analfabeto para fazer site

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.