Bolsonaro confirma o pastor evangélico Mendonça para cargo na corte

Única exigência do presidente para André Mendonça foi a de que pelo menos uma vez por semana a sessão se inicie com uma oração. “Muitos, pelo contrário, vão sentir a alma bem mais leve para fazer seu julgamento”, declarou Bolsonaro

Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Bolsonaro oficializou nesta segunda-feira, 12, a indicação do ministro da Advocacia-Geral da União e pastor da Igreja Presbiteriana Esperança, de Brasília , André Mendonça, para a vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) que se abriu após Marco Aurélio Mello se aposentar. Para o presidente, a única exigência é que Mendonça faça pelo menos uma vez na semana uma oração antes de se iniciar a sessão na STF.

Bolsonaro disse aos jornalistas, depois de uma reunião com o presidente do STF Luiz Fux, que Mendonça é “sim extremante evangélico, é pastor evangélico. Já falei que só faço um pedido para ele que uma vez por semana ele comece a sessão com oração. Isso está fechado. Independentemente do meu pedido, tenho certeza que os demais dez ministros do Supremo, caso ele seja aprovado no Senado, não vão se opor a isso. Muitos, pelo contrário, vão sentir a alma bem mais leve para fazer seu julgamento”. O presidente também afirmou que acredita que Mendonça será aprovado pelos senadores.

Para ser aprovado, Mendonça precisa ter a maioria dos votos na sabatina do Senado que acontece na  Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e ainda não tem data marcada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.