Para o engenheiro do PTB, os pré-candidatos devem mostrar à população o quão danosas foram as administrações do peemedebista

bittencourt-foto-marcello-dantas
Pré-candidato Luiz Bittencourt | Foto: Marcello Dantas / Jornal Opção

O histórico de más administrações do PMDB em Goiânia estimulou o engenheiro Luiz Bittencourt (PTB) a propor um “pacto” entre pré-candidatos a prefeito contra o modelo de gestão adotado há 15 anos na capital — personificado pelo ex-prefeito e possível candidato Iris Rezende.

Bittencourt afirma que o pacto servirá para deixar claro ao eleitor de que lado cada um está. Pelo menos no primeiro turno, o acordo não prevê que os signatários participem do mesmo espectro de alianças partidárias, mas que apenas mostrem à população as danosas administrações do decano peemedebista.

“A proposta do pacto é o reconhecimento público e coletivo de que Goiânia precisa virar a página”, diz o autor da proposta. “Os signatários deste acordo sinalizarão, de forma clara, que não compactuam com vícios e distorções que destruíram a prefeitura nos últimos anos”, explica ele.

Para ele, o próximo prefeito deve estar disposto a aplicar um choque de gestão: “Que adote o planejamento de curto, médio e longo prazo. Que seja honesto, transparente e que ouça a população antes de tomar decisões importantes. Não dá para ficar no meio do caminho.”

Na opinião de Bittencourt, a prefeitura não atende mais a finalidade para a qual foi criada: com o passar do tempo o interesse coletivo foi “deixado de lado”.

O engenheiro critica os “engravatados” que, segundo ele, se escondem nos gabinetes “sem se importar com as lâmpadas queimadas, os buracos nas ruas o alastramento da dengue, a irregularidade na coleta de lixo ou o superfaturamento de obras”.