Bailarina goiana Amanda Gomes é a primeira brasileira a ser contratada por companhia de dança russa

Jovem iniciou carreira em escola de Goiânia e recebeu premiações em diferentes países. Atuação despertou atenção da Ópera da Cidade de Cazãn 

A bailarina goiana Amanda Gomes, de 19 anos, vai fazer parte da companhia Ópera da Cidade de Cazãn, da Rússia, em agosto. O convite para ingressar ao corpo de dança da companhia veio depois de audição –– teste em que a dançarina mostrou seu desempenho –– no mês passado.

A chamativa se deu após a jovem ganhar medalhas em abril no XIII Russian Open Ballet Competition Arabesque, em Perm, na Rússia. Foram três categorias: pré-artístico, clássico e contemporâneo. A essa altura, no entanto, já acumulava outros prêmios em todos os concursos que participou, o que gerou convites de escolas de diversos países, como Estados Unidos e Suíça.

Amanda é persistente e perspicaz. Em entrevista ao Jornal Opção Online nesta quarta-feira (23/7), a jovem afirmou que pesquisou as principais companhias do país e enviou vídeos com suas apresentações. E a resposta foi quase que imediata por parte da Cazãn, que demonstrou total interesse em conhecer o trabalho dela. “Passei dois dias fazendo os testes. Ao final, disseram que gostaram e que me queriam na equipe”, relatou.

Questionada sobre suas principais inspirações, a artista cita os familiares. Dos pais até os tios e padrinhos, que sempre repassaram determinação, fé e disciplina. Nascida em Goiânia, fez exame em Istambul, na Turquia, onde ganhou medalha de ouro. No Festival Internacional de Dança de Goiás, o título de melhor bailarina. Em Nova York, no Youth America Grand Prix, ela e seu par, garantiram a premiação pela apresentação do Pas de Deux, do balé Diana e Acteon. A goiana também garantiu uma premiação individual, ficando entre as 10 melhores de todo o concurso.

Amanda passou quase nove anos na Escola de Teatro Bolshoi e formou-se bailarina profissional pela companhia jovem em 2011. O processo se deu em seis anos, prazo menor do que o previsto, que é de oito. No quarto ano de estudos ela foi indicada por um diretor para participar de competição nos Estados Unidos. Inicialmente, foi com a intenção de adquirir experiência, mas voltou com o título de bailarina revelação. Em todos os concursos que participou posteriormente, recebeu alguma premiação.

Efetivamente, a mudança para as terras russas ocorre ao fim do mês que vem. E desta vez, os pais não vão.

Sonho

Em busca do sonho da filha, os pais Zuxis Filho e Polyana Gomes mudaram-se para Santa Catarina e matricularam Amanda na escola. Em curto tempo, chamou atenção. O ingresso na escola russa, sediada no Brasil, ocorreu três anos depois de iniciar as aulas de balé.

Dançarina durante apresentação com sue partner Diego Cunha | Foto: Cleber Gomes

Dançarina durante apresentação com sue partner Diego Cunha | Foto: Cleber Gomes

Aos 7 anos, uma professora de dança da Escola Simone Magalhães, de Goiânia, voltou de uma edição do Festival de Dança de Joinville com um folder da Escola de Teatro Bolshoi. O objetivo foi o de convencer a pequena dançarina e seus pais de que ela deveria fazer a seleção para estudar na Região Sul do país.

À reportagem, a goianiense aproveitou para comentar seus planos futuros, como cursar uma faculdade. Detalhando que seu trabalho é de seis a sete horas diárias, a dançarina antecipou que pretende ingressar em curso de Arquitetura e Urbanismo. “Sempre admirei a construção de casas. Até tive nota pelo Enem [Exame Nacional do Ensino Médio], mas não deu”, confessou, ressaltando que o terceiro ano do ensino médio foi complicado.

Outra qualidade é a língua estrangeira: fala inglês e consegue se virar bem durante as andanças pelo exterior, inclusive em entrevistas. “Agora, meu novo desafio é [falar] o russo”, brincou.

Amanda ainda participou de espetáculos no Brasil e no exterior exibindo papéis de destaque como a Dama do Baile, no Balé O Quebra-nozes; a protagonista Giselle, no Balé Giselle; o cupido e a protagonista Kitri, da Grande Suíte do Ballet Don Quixote –– inclusive na capital goiana, quando da inauguração do teatro do Centro de Educação Profissional (CEP) Basileu França, em 2010. Teve a oportunidade de atuar com ícones da dança mundial como Natália Osipova, Elena Andrienko, Ivan Vassiliev, Andrey Bolotin, Andrey Uvarov e Vladimir Vasiliev.

Uma resposta para “Bailarina goiana Amanda Gomes é a primeira brasileira a ser contratada por companhia de dança russa”

  1. LARISSA DO NASCIMENTO disse:

    MUTIRO BOM.TAMBÉM TENHO O SONHO DE SER BAILARINA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.