Avaliadoras estão mais próximas de um consenso sobre o valor da Celg, diz Elie Chidiac

Encontro realizado nesta quarta-feira tinha como objetivo discutir os detalhes para que haja uma convergência no posicionamento das avaliadoras da estatal goiana e da Eletrobras

O diretor de regulação da Celg, Elie Chidiac participou na manhã desta quarta-feira (7/5) de uma reunião para definir os detalhes sobre a transferência das ações da empresa para a Eletrobras. Emperrada há vários meses, quando as duas avaliadoras (Deloitte, contratada pela Eletrobras, e Funape, contratada pelo Estado) destoaram de forma gritante sobre os valores da empresa, o encontro tinha como objetivo discutir os detalhes para que haja uma convergência no posicionamento dos dois grupos.

De acordo com Chidiac, a reunião desta quarta não tinha a pretensão de formar um parecer definitivo sobre a questão. “Foi uma reunião de aproximação de pontos de vista, de números, de avaliação, mas não há ainda um relatório final”, ressaltou.

O saldo do encontro foi positivo no entendimento do secretário. “As duas avaliadoras estão se entendendo, estamos bem próximos da convergência dos dois laudos. Estão surgindo algumas questões contábeis bem pontuais que certamente não influenciarão o resultado final das duas avaliadoras”, disse.

Para que passos mais concretos sejam dados, o governo estadual precisa elaborar um relatório com dados contábeis a ser enviado para as duas auditorias. Esse processo, relata Chidiac, deve ser concluído até o final desta semana e, então, uma nova reunião vai ser agendada.

O diretor frisa que a negociação entre Celg e Eletrobras não envolve somente a avaliação do valor da estatal goiana. “Temos que fazer todos os trâmites legais, sejam jurídicos, de avaliação, e tem a questão da prorrogação da concessão. Além disso, há os termos regulatórios dentro da área elétrica, envolvendo a Aneel e a Eletrobras. Então tem várias etapas que precisam ser discutidas para que haja um consenso”, afirma.

Participaram da reunião desta quarta representantes da CelgD, CelgPar, Celg GT, Eletrobras, Deloitte e Funape.

Leia mais:

Marconi é orientado a não transferir controle da Celg D à Eletrobras antes da avaliação da Aneel
Se contrato não for assinado até junho, Celg terá que iniciar pagamento de dívida de R$ 2,5 bilhões

Rubens Otoni critica acordo entre Celg e Eletrobrás
Celg obtém balanço positivo após sete anos no vermelho
Conselhos da Celg e Eletrobrás estão reunidos para discutir situação da CelgD
Balanço de situação financeira da Celg é concluído

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.