Ausência da oposição em eventos do Paço chama a atenção

Audiência pública sobre aumento do IPTU/ITU e prestação de contas foram realizadas na segunda (17) e terça-feira (18), mas oposicionistas não compareceram

Quatro principais nomes da oposição  estiveram ausentes em eventos relevantes | Fotos: Reprodução/Câmara de Vereadores de Goiânia

Quatro principais nomes da oposição estiveram ausentes em eventos relevantes: Elias Vaz, Geovani Antônio, Anselmo Pereira e Thiago Albernaz | Fotos: Reprodução/Câmara de Vereadores de Goiânia

A ausência dos principais nomes da oposição à Prefeitura de Goiânia na Câmara Municipal de Vereadores em dois importantes eventos do Paço Municipal chamaram a atenção nesta semana. Anselmo Pereira, Geovani Antônio e Thiago Albernaz, do PSDB, não compareceram a segunda audiência pública sobre o aumento do Imposto Predial, Territorial e Urbano (IPTU/ITU), na segunda-feira (17/11), e na prestação de contas do segundo quadrimestre do ano, na terça-feira (18). Elias Vaz, do PSB, compareceu somente neste último evento.

O encontro na manhã do último dia 17 de novembro foi o primeiro promovido pelo Poder Legislativo. E os três saíram em viagem particular no fim de semana para São Paulo e retornaram no fim da tarde daquele dia. “Não tinha como desmarcar, pois estava agendada há três meses”, disse Elias Vaz.

O pessebista esteve apenas na prestação de contas e questionou o prefeito Paulo Garcia (PT) sobre o pagamento da data-base aos servidores municipais. Como resposta, ouviu que um planejamento está sendo feito entre a Casa Civil e Secretaria de Finanças para que a reposição seja feita “a partir de agora”. As negociações estão sendo lideradas pelo secretário de Governo, Osmar Magalhães.

Geovani Antônio faltou aos dois eventos e relatou ter tentado negociar a mudança do dia da audiência pública com Célia Valadão (PMDB), líder do petista na Câmara, e com o líder do PT, Carlos Soares, mas sem sucesso. “Estavam decididos [o local, a data e horário] e já tinha sido bem divulgada. A partir de agora estarei presente em todas”, prometeu o tucano. Ele disse que vai, inclusive, na que será realizada às 18h30 desta quarta-feira (19), na Associação Comercial e Industrial do Estado de Goiás (Acieg).

As discussões prometem ser acaloradas, pois lá se encontra o berço do setor produtivo. E quem representa a categoria entre os vereadores é Anselmo Pereira, que está há mais tempo na Casa de Leis. Ele não esteve presente na nas discussões a respeito do IPTU/TIU. A reportagem entrou em contato com o decano, mas as ligações não foram atendidas.

Thiago Albernaz não esteve em nenhum dos encontros, mas concluiu que as informações prestadas por Paulo Garcia são incoerentes. “Ele vem à Câmara alegando que a prefeitura melhorou a situação [financeira], diminuiu a folha de pagamento e quitou as dívidas. Mas ao mesmo tempo envia uma proposta para aumentar o IPTU. Vejo uma falta de interesse dele em ser claro com as informações”, reclamou.

O tucano acredita que não há necessidade de justificar sua ausência à imprensa e ao Paço Municipal. O vereador aponta que a base de apoio ao prefeito tem feito “jogo duro” para que o projeto de atualização dos valores venais dos imóveis da capital seja aprovado da forma como veio do Poder Executivo.

Pontuando que muitas questões estão em jogo nesse fim de ano — como a recomposição do secretariado do governo –, o jovem diz que existem muitos vereadores colocando interesses pessoais nas negociações. “O jogo político acontece a todo momento. E em um projeto de grande teor como esse é claro que há pressão popular dentro das bases eleitorais.”

Tanto oposicionistas quanto representantes da sociedade civil notaram que a maior parte das pessoas que foram à audiência pública no auditório da Câmara era ligada à prefeitura. “Muitos fazem parte da militância [do PT]”, apontou um vereador. “Aqui, ficou claro que a audiência em peso era da prefeitura, sendo que o objetivo era o de esclarecer a população”, destacou Helenir Queiroz, presidente da Acieg, após a audiência.

Motivos de saúde

Na manhã da última terça-feira o Jornal Opção Online questionou Elias Vaz sobre a ausência do colega Geovani Antônio. “Passou mal a noite inteira”, informou o oposicionista. O tucano confirmou que chegou a ficar em observação em uma unidade de saúde particular, no Setor Oeste. “Parecia dengue. Não tive condições físicas de ir [a prestação de contas]”, ressaltou.

Ele explicou ainda que se informou pela imprensa sobre a divulgação dos dados. Ao Jornal Opção Online, disse que o prefeito “foge” de questionamentos. “Mesmo porque [os números] não deixam de ser uma farsa, pois tudo pode ser retificado depois. Sempre são apresentados dados diferentes, uma maravilha ao TCM [Tribunal de Contas dos Municípios].”

Paulo Garcia não repassou detalhes a respeito das contas municipais e indicou Jeovalter Correia, titular da Sefin, para esclarecer dúvidas da imprensa. Contudo, o auxiliar não respondeu a nenhuma pergunta dos jornalistas. O secretário se esquivou dizendo que o tema será tratado no “momento certo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.