Auditoria do TCU aponta irregularidade em uso do SUS com cloroquina e azitromicina

Não há estudos que comprovem eficácia dessas substâncias no tratamento da doença

O Tribunal de Contas da União (TCU) apontou irregularidade em uso de dinheiro público do Sistema Único de Saúde (SUS) para custear tratamento da Covid-19 com medicamentos como cloroquina e azitromicina.

O ministro Benjamin Zymler deu cinco dias úteis para o Ministério da Saúde explicar.

De acordo com os auditores do TCU, a pasta comandada por Eduardo Pazuello divulgou nota informativa em maio descrevendo sintomas da infecção por coronavírus e indicando o uso de difosfato de cloroquina, sulfato de hidroxicloroquina e azitromicina.

Não há estudos que comprovem a eficácia dessas substâncias no tratamento da doença.

“Desta feita, como não houve manifestação da Anvisa acerca da possibilidade de se utilizar os medicamentos à base de cloroquina para tratamento da Covid-19 e tampouco dos órgãos internacionais antes mencionados, verifica-se não haver amparo legal para a utilização de recursos do SUS para o fornecimento desses medicamentos com essa finalidade”, diz trecho do despacho assinado por Zymler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.