Audiência pública discute aumento abusivo dos combustíveis em Goiânia

De acordo com o vereador delegado Eduardo Prado (PV), após investigações do Procon e Decon, redução deve acontecer

Audiência pública discute aumento de combustíveis em Goiânia | Foto: Divulgação

O presidente da Comissão de Direitos do Consumidor da Câmara Municipal de Goiânia, vereador delegado Eduardo Prado (PV), realizou nesta segunda-feira (13/11), no auditório Carlos Eurico, audiência pública para discutir o recente aumento súbito e abusivo do preço dos combustíveis na capital.

A reunião contou com representantes da Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon-GO), Delegacia do Consumidor (Decon) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO), dentre outros.

O Ministério Público (MP-GO) e o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), apesar de chamados, não compareceram.

Segundo Prado, houve uma troca de informações entre os órgãos envolvidos e estabelecer uma estratégia conjunta de atuação contra o aumento do preço dos combustíveis. “Fui titular da Delegacia do Consumidor (Decon) e à época fiz o indiciamento de 100 proprietários de postos por alinhamento de preço. Conheço bem essa situação de abuso e desrespeito à qual a população goianiense vem sendo submetida nos últimos tempos na hora de abastecer seus veículos. Agora, como presidente da Comissão de Direitos do Consumidor, irei novamente enfrentar essa máfia”, disse o parlamentar.

Em entrevista ao Jornal Opção, Eduardo Prado disse que a audiência foi produtiva, com participação de toda a sociedade. “Acredito que agora alguma situação deve ser resolvida”, garantiu.

Segundo ele, a alta do etanol foi o principal assunto discutido, uma vez que, de julho a novembro, houve um aumento de 120 % de lucro bruto no e combustível, o que acaba por aumentar também o preço da gasolina devido à porcentagem de etanol.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.