Ataques contra passaporte da vacina não motivaram recuo, garante Marlon

Caso índices de contaminação e ocupação de UTI por Covid-19 voltem a subir, parlamentar pretende retomar o projeto à pauta

Apesar de ter recebido dezenas de ataques nas redes sociais pela apresentação do projeto que instituía o passaporte da vacinação, vereador do Cidadania, Marlon Teixeira garante que esse não foi o motivo de ter retirado o projeto de pauta. Assim como no momento da retirada, o parlamentar voltou a ressaltar seu acordo com a Prefeitura, “que resultou na publicação do decreto que retoma a realização de eventos sob apresentação de testes ou comprovante de vacinação contra Covid-19”.

A justificativa de Marlon na garantia de que os ataques não teriam sido a motivação para a retirada da matéria é de que grande parte dos comentários ofensivos recebidos teriam sido omitidos nas redes sociais por ‘perfis fakes’ ou ‘perfis verdadeiros’, mas provenientes de outros estados. “Isso de maneira nenhuma me intimidou. Só retirei o projeto após o diálogo junto ao prefeito Rogério Cruz (Republicanos), e ao secretário municipal de Saúde, Durval Pedroso, que determinou que eventos com grandes aglomerações teriam que ocorrer sob vários requisitos, como foi o show do Gusttavo Lima”, afirma.

“Nosso projeto era justamente para acabar algumas das restrições que existiam, mas como já conseguimos a reabertura, isso já foi muito importante, porque o setor de eventos foi um dos mais afetados”, declara.

Ele não esconde, no entanto, a possibilidade de retomar o projeto em pauta caso as estatísticas de contaminação retornem a subir, especialmente a partir da descoberta da nova variante do coronavírus, a ômicron. “Espero que os índices de contaminação e ocupação da UTI não voltem a subir, mas se sentirmos necessidade, iremos reapresentar”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.