Assembleia começa a cortar ponto de deputados faltosos em 2018

Medida, aprovada em plenário no ano passado, passa a valer com a volta dos trabalhos

Presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, José Vitti | Foto: Ruber Couto

O presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB), tomou uma atitude de inédita na Casa ao adotar o ponto biométrico para o registro de presença dos deputados. Com isso, haverá corte de salário aos que não comparecerem às sessões ordinárias.

As medidas de controle de presença dos deputados foram aprovadas no plenário durante o esforço concentrado do final do ano e entram em vigor 2018, com a volta dos trabalhos no Legislativo goiano.

Vitti afirma que relutou em tomar a decisão porque não foi eleito para ser “bedel de deputado”, mas ressalta que o corte do ponto, apesar de constrangedor, mostra-se necessário para garantir quórum e a tramitação dos projetos.

Presidente da Comissão de Constituição de Justiça e Redação, o deputado Álvaro Guimarães (PR) respalda a mudança. “Sou a favor. Os deputados devem cumprir com suas obrigações e as principais delas são a presença no plenário e nas comissões”, disse.

Líder da oposição, o deputado José Nelto (MDB) afirmou que os gazeteiros são motivo de vergonha para Casa e manifestou apoio integral à adoção da biometria e do corte do ponto dos faltosos.

O deputado Santana Gomes (PSL) também manifestou apoio à decisão de Vitti: “Deputado tem, sim, que dar assistência às suas bases, mas tem também que votar as matérias. Não adianta falar na minha base que eu sou deputado se não estou na Assembleia para tratar dos projetos”.

Deixe um comentário