Assassino de Zé Gomes era filiado ao partido de candidato adversário

Gilberto Ferreira do Amaral, que disparou contra carreata do ex-prefeito de Itumbiara, consta na lista de filiados ao PR — partido do deputado Álvaro Guimarães

assassino-itumbiara-2-ok

Foto que circula nas redes mostra assassino durante atentado e o cabo Vanilson no chão, aparentemente já ferido

O servidor municipal Gilberto Ferreira do Amaral, autor dos disparos que vitimaram o ex-prefeito Zé Gomes (PTB) e o policial militar Vanilson, consta na lista de filiados ao Partido da República (PR) de Itumbiara.

O homem que efetuou pelo menos 13 disparos contra o veículo em que estavam políticos e lideranças ligados ao então candidato petebista à prefeitura é correligionário do deputado estadual Álvaro Guimarães, que também é candidato a prefeito em 2016.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilberto Ferreira do Amaral encontrava-se em situação “regular” no PR.

Apesar das investigações ainda estarem em curso, a Polícia Civil não descarta a possibilidade de um crime com motivações políticas. Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (29/9), o secretário interino de Segurança Pública, Coronel Edson Costa, afirmou que se trata de um “atentado político”.

À imprensa, o delegado-geral-adjunto da PC, Marcelo Aires, afirmou que o assassino não possuía porte de armas e que, ao que tudo indica, não era um atirador profissional. Foram encontrados mais de 80 kg de maconha na casa dos dois filhos de Amaral.

No atentado, que aconteceu na última quarta-feira (28), foram mortos por Gilberto Ferreira do Amaral o ex-prefeito e candidato Zé Gomes e o policial militar Cabo Vanilson; o vice-governador José Eliton (PSDB) e o advogado da prefeitura da cidade, Célio Rezende, foram alvejados, mas estão fora de perigo.

Ao Jornal Opção um assessor de Álvaro Guimarães (PR), identificado como Marco Aurélio, informou que o deputado — que também é o presidente do partido em Itumbiara — está “muito abalado” e não quer falar sobre o atentado.

Contudo, ele negou que o parlamentar tenha conhecimento sobre a filiação do assassino ao PR e que não o conhece. “Não temos conhecimento disso. É um partido grande e a gente não tem conhecimento disso não”, reiterou.

Veja abaixo a filiação:

Clique na imagem para ampliá-la

Clique na imagem para ampliá-la

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.