Armando e Lucas Vergílio negam atrito sobre bases eleitorais com peemedebistas

Candidatos a vice-governador e deputado federal, pai e filho descartam haver acordo para que postulantes do PMDB não invadissem bases eleitorais

O candidato a vice-governador na chapa do PMDB, o deputado federal Armando Vergílio (SDD), negou que tenha sido fechado acordo para que postulantes peemedebistas à Câmara dos Deputados não disputassem as bases eleitorais do filho dele. Em entrevista ao Jornal Opção Online nesta sexta-feira (25/7), o parlamentar afirmou que não há atrito entre os dois e os deputados federais Íris de Araújo e Pedro Chaves, por exemplo.

“Não existe, não é verdade. Isso é coisa de jornalista que não tem nada para fazer. Nossa relação [entre ele, o filho e os peemedebistas] é excelente, com respeito mútuo”, avaliou. Lucas é o único candidato do Solidariedade que disputa uma vaga em Brasília por Goiás.

Como exemplo, o presidente do partido no Estado destacou que na quinta-feira (24) Lucas e Dona Iris pediram votos juntos para o cabeça de chapa, Iris Rezende, em Turvânia. Como pai, Armando disse que “veste a camisa” do filho como candidato, assim como a de Iris, de Ronaldo Caiado –– deputado federal que disputa o Senado na coligação, pelo DEM –– e todos os outros nomes. Isso, segundo ele, não gera nenhum conflito.

Braços abertos

Lucas divide a mesma opinião e destaca a boa relação com os adversários. O jovem de 27 anos concentra suas bases eleitorais em Goiânia e Região Metropolitana e em Luziânia, Planaltina e Formosa, cidades do Entorno do Distrito Federal. Dizendo ser próximo da família de Dona Íris, o candidato relata que as informações sobre o “fogo-amigo” são eleitoreiras.

“Na época de campanha plantam isso. Foi assim quando meu pai se candidatou em 2010. Em Formosa, por exemplo, meu pai não teve oportunidade de trabalhar lá. Agora, estou em parceria”, detalha. Lá, Lucas faz dobradinha com Ernesto Roller (PP), que disputa vaga na Assembleia Legislativa.

O filho de Armando ainda citou Daniel Alves, Pedro Chaves, Paulo do Vale, do PMDB, e Tatiana Lemos (PCdoB) como outros políticos com quem tem se relacionado bem, mesmo disputando vagas na Câmara Federal. “Me receberam de braços abertos.”

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.