Aprovado aumento da passagem de ônibus em Goiânia. Veja novo valor

CDTC se reuniu na tarde desta segunda-feira (22/1) para analisar proposta apresentada pelas empresas do transporte coletivo 

Reunião da CDTC | Foto: Mayara Carvalho

A Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) aprovou, na tarde desta segunda-feira (22/1), a proposta que reajusta a tarifa do ônibus na região metropolitana de Goiânia para R$ 4. O novo valor passa a valer a partir do dia 24 de janeiro (quarta-feira).

Dos 11 integrantes do colegiado, apenas o deputado estadual Marlúcio Pereira (PSB) e o vereador Clécio Alves (MDB) votaram contrários. A reunião foi realizada no Paço Municipal e contou com a presença de vários políticos da capital.

A expectativa inicial era de que o reajuste fosse de R$ 0,35, fazendo com que o bilhete para uma viagem passasse de R$ 3,70 para R$ 4,05. No entanto, houve um acordo entre as empresas e os representantes da CDTC, arredondando valor para baixo. A proposta já havia sido chancelada pela Agência Goiana de Regulação (AGR).

Prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) foi o primeiro a falar na reunião e destacou as “conquistas” do transporte coletivo durante suas gestões na capital, lembrando que foi ele quem pactuou os aumentos anuais na tarifa em meados da década de 2000. À época, garantiu que era o melhor do Brasil.

No entanto, disse que o Poder Público “errou” quando não reajustou a passagem por dois anos, quando começou a fazer concessões e “não cumprir com as promessas junto aos empresários”.

“Não pense que vamos resolver só com esse reajuste, não é só isso. Temos que nos debruçar sobre a questão do transporte na região metropolitana. O que está aí não está dando. Eu disse ao governador que o governo tem competência para criar linhas intermunicipais e eu queria criar linhas municipais”, disse, sugerindo a municipalização do transporte.

Antes da votação, Iris abandonou a reunião, dizendo que tinha outro compromisso, mas deixou claro que vota a favor dos R$ 4. O mesmo fez o secretário de Planejamento Urbano e Habitação, Agenor Mariano (MDB).

Propostas

Vereador e representante da Câmara Municipal de Goiânia, Clécio Alves (MDB) apresentou duas propostas que, segundo ele, iriam impedir o aumento da tarifa.

A primeira delas foi a de que os 15 terminais de Goiânia e Aparecida de Goiânia passassem a ser geridos pelas prefeituras e com a participação de outros municípios da região metropolitana, que foi rejeitada. Já a segunda seria terceirizá-los, como aconteceu em São Paulo, que foi aprovada.

O secretário Fernando Santana (SMT) propôs que as prefeituras sejam obrigadas a cuidar dos abrigos de ônibus de cada cidade, que foi aprovada. A proposta de estudo para privatização dos abrigos também foi aprovada.

Veja como votaram os integrantes da CDTC:

  • O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), que é o presidente – não vota;
  • O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) – sim;
  • O secretário do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Cidades, Infraestrutura e Assuntos Metropolitanos, Vilmar Rocha (PSD) – ausente (mas representante votou sim);
  • O prefeito de Senador Canedo, Divino Lemes (PSD) – sim;
  • O deputado estadual Marlúcio Pereira (PSB), representante da Assembleia Legislativa – não;
  • O vereador Clécio Alves (MDB), representante da Câmara de Goiânia – não;
  • O presidente da Agência Goiana de Regulação, Ridoval Chiareloto – sim;
  • O secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), Agenor Mariano (MDB) – sim;
  • O secretário de Trânsito, Transportes e Mobilidade de Goiânia, Fernando Santana – sim;
  • O presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo, Fernando Meirelles – sim;
  • O vereador por Trindade, Agneuson Alves (PV), representante das Câmaras Municipais da região metropolitana – sim.
5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

aaa

Máfia desgraçada

Israel

Este aumento é abuso!… Interessante mesmo é ver o engajamento do prefeito Iris em defender os empresários do transporte coletivo de Goiania… Pq não investem num metro norte-sul/leste-oeste para grande Goiânia? E o PLE veio para beneficiar quem? … Abram as planilhas de custos do transporte e se estiverem no prejuizo devolvam as concessoes… Simples Assim…

Ueler Oliveira

É dar um tapa na cara da população de Goiânia mesmo, enquanto outras cidades muito maiores e com sistemas mais complicados do país estão aumentando abaixo da inflação, A prefeitura vem com R$0,30 centavos? Com esse transporte péssimo, com ônibus sujos e caindo aos pedaços. Espero que algum Vereador e seja lá quem for entre com uma ação no ministério público pois esse aumento é inconstitucional e ilegal.

ziro

concluindo, os prefeitos não estão nem aí com seu eleitorado, que se danem a população que é transportada como bois, em verdadeiros ganholões insalubres. A saída é a redução do Estado, privatização de tudo, com a redução da atual carga tributária em prol do trabalhador consumidor. Iris Rezende está deixando muito a desejar com esta atual gestão, que coisa heim?! Como foram capazes de votar pelo aumento, enquanto a qualidade só decai.

José

Governo cara de pau, dizer que é uma conquista aumenta os preços das passagens. Há é mesmo, eles não andam de transporte coletivo, por isso da celebração, deveria ter vergonha na cara ao dizer uma coisa dessa.