Após retomada de crescimento, novas empresas se instalam em Goiás

Seis empresas obtiveram aprovação de seus projetos pelo Conselho Deliberativo do Programa de Desenvolvimento Industrial de Goiás (Produzir)

Foto: Leopoldo Fernandes/SED

Seis empresas obtiveram aprovação de seus projetos pelo Conselho Deliberativo do Programa de Desenvolvimento Industrial de Goiás (Produzir), da Secretaria de Desenvolvimento (SED), durante reunião realizada sexta-feira (14/9). Os projetos somam investimentos fixos de R$ 9,5 milhões e a criação de 128 novos empregos diretos. A medida é resultado da retomada de crescimento no Estado.

Para o secretário de Desenvolvimento, Leandro Ribeiro, os benefícios oferecidos pelo Produzir – que sucede o Fomentar – contribuem para a implantação, expansão, modernização e diversificação do setor industrial de Goiás, e também logístico, através de investimentos produtivos que impactam diretamente no desenvolvimento econômico regional.

O Conselho Deliberativo do Produzir aprovou, entre o período de 2014 a 2017, um total de 294 projetos de viabilidade econômico e financeira do Programa Produzir, com investimentos de R$ 1,76 bilhão, e a geração de 14.755 empregos diretos.

Até o momento, o Conselho já aprovou 55 projetos com investimentos que chegam a casa dos R$ 650 milhões, e vão garantir a geração de 2.600 empregos diretos.

Diante destes dados o Leandro Ribeiro, titular da SED, acredita que os investimentos chegarão a R$ 1 bilhão neste ano, chegando próximo ao valor registrado em 2013, antes do Brasil entrar na crise econômico-financeira, que foi de R$ 1,04 bilhão.

Novos investimentos

Aparecida de Goiânia deverá sediar empresa do ramo de materiais plásticos, LF Plásticos Ltda, com investimentos de R$ 4,3 milhões e geração de 50 empregos diretos, além de outros empregos indiretos.

Outro projeto de implantação aprovado pelo Produzir, está Rambax Netherland Comércio Atacadista de Medicamentos que se instalará em Goiânia. Serão mais de R$ 3,2 milhões em investimentos. O município de São Luís de Montes Belos sediará a indústria de medicamentos alopáticos e fitoterápicos, Hadassah Pharma e a empresa de Laticínios Montes Belos também teve aprovada projeto de reengenharia, os dois projetos somam investimentos de quase R$ 2 milhões e 51 empregos diretos.

A empresa Metalflex Metais de Goianápolis também teve projeto de expansão aprovado e Hidrolândia deverá receber a empresa Ardrak Indústria e Comércio, que atua na importação de produtos naturais alimentícios.

Durante da reunião, o Secretário lembrou que Goiás tem atuado de forma proativa, apoiando os empresários a investirem em seus negócios e realizando ações para atrair novos investimentos para o Estado. “O empresário goiano tem apostado no futuro, e sabemos que é na crise que temos que nos sobressair e sermos firmes”, ressaltou.

Interiorização

Em 2017, os projetos aprovados pelo Produzir foram pulverizados em 30 municípios, com destaque para Anápolis, Aparecida de Goiânia, Rio Verde, Alexânia, Cezarina, Goianésia, Luziânia e São Luiz de Montes Belos.

Leandro Ribeiro ressalta que, seguindo orientação do Governador de melhorar os critérios de incentivos com foco na integração regional, visando a diminuição das desigualdades de oportunidade, houve realmente uma resposta positiva. Os empresários voltaram os olhos para as regiões Oeste e Nordeste do Estado, com financiamento de até 98% do valor do montante do imposto.

Com isso, em 2017, a região Oeste foi beneficiada com sete projetos e investimentos de R$ 3,17 milhões, a Nordeste recebeu dois projetos e investimentos de R$ 2,2 bilhões. O Entorno do DF foi contemplado com oito projetos e investimentos de R$ 6,57 bilhões. Contudo, a região Metropolitana de Goiânia ainda é a preferida pelos empresários na hora de implantar suas empresas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.