Após passar mal, pai do governador de Goiás é internado em hospital público

Marconi Ferreira Perillo chegou a ser transferido para uma UTI do Hugol, unidade da rede estadual de Saúde, mas se recuperou bem e já teve alta

Marconi e o pai, Seu Marconi, na campanha de 2014 | Foto: Lailson Damásio

Marconi e o pai, Seu Marconi, na campanha de 2014 | Foto: Lailson Damásio

A internação do pai do governador Marconi Perillo (PSDB) no Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol), na noite da última sexta-feira (24/6), em função de uma alta brusca de pressão, mostra que, mais do que apenas defender o sistema público estadual de saúde, o governador acredita nele.

Marconi Ferreira Perillo, o “Seu Marconi”, participava da inauguração do Parque Municipal de Trindade Maria Pires Perillo (batizado em homenagem à mãe do governador) quando sofreu um mal-estar súbito e foi levado para o Hugol, hospital de referência da região.

O pai do governador ficou em observação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hugol, para acompanhamento de seu quadro vascular. Segundo os médicos, a alteração na pressão de se deu em função do calor e da emoção diante da homenagem, somados ao fato de que ele havia sido submetido a uma pequena cirurgia dias antes e ainda deveria estar em repouso.

Seu Marconi já recebeu alta e passa bem.

Hugol 

No próximo dia 6 de julho, o Hugol completa um ano de funcionamento e é um dos 17 hospitais do Governo de Goiás cuja gestão é compartilhada com Organizações Sociais de Saúde. O Hugol é uma unidade de saúde voltada para o atendimento de urgência e emergência de média e alta complexidade, com foco em traumatologia, queimaduras e medicina intensiva.

O hospital é um dos componentes da Rede de Urgência e Emergência do Estado de Goiás e o acesso ao seu atendimento é via regulação. A abertura de todos os 514 leitos, tanto de internação comum quanto de UTI, será progressiva, de acordo com a demanda de pacientes com o perfil do hospital, ou seja, pacientes de alta complexidade. A unidade iniciou com 1703 colaboradores e atualmente já conta com 2102 – destes, 319 médicos. Com 215 leitos ativos, de julho de 2015 a maio de 2016 a unidade realizou 49.005 atendimentos, sendo 21.167 destes na urgência, 19.656 no ambulatório de retorno e 8.182 internações.

Possui um centro de diagnósticos de alta precisão e complexidade para a realização de exames laboratoriais e de imagem que realizou 356.570 exames. Com uma média superior a mil cirurgias por mês, o Hugol alcançou a marca de 11.732 cirurgias no período, principalmente procedimentos em ortopedia/traumatologia, plástica reparadora (queimados), urologia e cirurgia geral.

Quanto à origem dos pacientes, 48% são moradores de Goiânia, principalmente da Região Noroeste, e 41% de outros municípios de Goiás. Além disso, 1% dos atendimentos foi dedicado a pacientes de outros Estados, denotando a representatividade que o hospital tem obtido no âmbito nacional, como é o caso da unidade especializada em queimaduras.

Hélio Ponciano, diretor-geral, alerta que é preciso diferenciar atendimentos de baixa complexidade, que são pautados essencialmente por quantitativos de pacientes/dia, e serviços como os oferecidos pela unidade, de média e alta complexidade, que têm um perfil de atendimento diferenciado, em que o tempo de internação de um paciente é elevado devido à gravidade dos casos, com pessoas que chegam a ficar por meses em tratamentos e recuperação.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.