Após inspeção, promotor do MP-GO atesta lotação no Materno Infantil

Durante visita, promotor de Justiça testemunhou pacientes recebendo atendimento nas cadeiras da recepção

Hospital Materno Infantil em Goiânia | Foto: Jornal Opção

Técnicos do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) realizaram, na última quinta-feira, 21, uma inspeção no Hospital Materno-Infantil (HMI) em Goiânia e diagnosticaram lotação da unidade.

Com experiência na área da Saúde e Cidadania, o promotor de Justiça, Vinícius Jacarandá, visitou a unidade e constatou que o local está operando com número próximo ou além do limite permitido pela estrutura física.

Ao percorrer os corredores da unidade, Jacarandá observou que o prédio sofre com a ação do tempo e já não comporta mais qualquer tentativa de ampliação da unidade. Quanto ao corpo técnico do Marterno Infantil, o promotor considerou a situação adequada. Hoje, o hospital conta com cerca de 400 médicos em atividade.

Diagnósticos

Segundo informações obtidas junto ao MP-GO, Jacarandá encontrou a pior situação no pronto-socorro pediátrico da unidade onde pacientes aguardavam para serem internados e recebiam suporte dos médicos nas cadeiras da recepção. A UTI pediátrica também apresenta lotação. Ao todo, são dez leitos.

O promotor também verificou que duas salas de emergência do mesmo pronto-socorro estão interditadas e passam por manutenção. O local onde são feitas as reanimações também possui todos seus leitos ocupados.  As unidades de Cuidados Intermediários (UCIN), bem como a UTI Materna, também estavam totalmente ocupadas com muitos de seus pacientes em estado grave de saúde.

Diante da situação alarmante, Jacarandá atestou também que o sistema de climatização não é adequado. Para ele, grande parte das instalações da unidade estão deterioradas e precisam de reforma. Porém, considerou que o ideal seria a construção de uma nova unidade de atendimento pediátrico, “com instalações adequadas e planejamento para comportar a demanda crescente por pelo menos 20 anos”, declarou ao MP-GO

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.