Após acordo entre líderes Senado deve rejeitar novas regras do Fundo Partidário

Matéria voltará à Câmara, onde precisa ser votado no início de outubro para valer nas Eleições de 2020

Foto: Reprodução

Após acordo entre líderes do Senado em votação simbólica, o projeto que muda regras do Fundo Partidário, aprovado na Câmara, será rejeitado pelos senadores, mantendo apenas o Fundo Eleitoral para as eleições de 2020. Com a decisão, o valor do fundo eleitoral será o mesmo da última eleição.

A matéria, apelidada de ‘Lei Lula Livre’, que teve o texto modificado na manhã desta segunda-feira, 16, precisa ser aprovada pelas duas Casas ainda em outubro, para que suas regras passem a valer em 2020.

Um dos senadores que apoia a rejeição, Randolfe Rodrigues (Rede) afirmou que seria melhor “criar uma guerra com a Câmara dos Deputados do que com Brasil”.

Segundo o senador Randolfe, “todo o projeto será rejeitado pelo Senado e somente haverá ressalva à questão do financiamento eleitoral”.

“O texto é terrível para o Brasil e para a democracia. O texto flexibiliza a lei da ficha limpa. Quer ofensa maior do que esta?”, defendeu, afirmando esperar que a Câmara não retome o texto anterior.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.