Apenas um deputado federal de Goiás não deve disputar reeleição

Único da bancada na Câmara que não tentará um novo mandato, Daniel Vilela (PMDB) é pré-candidato ao governo do Estado

Daniel Vilela durante evento do PMDB, em Rio Verde | Foto: reprodução

Dos 17 deputados federais por Goiás eleitos em 2014, apenas um não tentará a reeleição no ano que vem. É o que mostra um levantamento feito pelo Jornal Opção nas últimas semanas.

Pré-candidato ao governo de Goiás, o peemedebista Daniel Vilela deve ser o único a não disputar novo mandato na Câmara Federal nas eleições do ano que vem.

Estreante em Brasília, o jovem parlamentar foi o segundo mais bem votado no último pleito, com quase 180 mil votos, e já foi vereador por Goiânia e deputado estadual. Filho de Maguito Vilela, ex-governador e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, ele também é presidente do PMDB em Goiás.

No comando do maior partido do Estado, ele promoveu encontros no interior para tentar convencer caciques, em especial o prefeito da capital, Iris Rezende, que seu nome é viável para disputar o Palácio das Esmeraldas contra o vice-governador e nome da base marconista, Zé Eliton (PSDB).

A pré-candidatura do senador oposicionista Ronaldo Caiado (DEM) — líder nas pesquisas de intenção de voto — chegou a ameaçar os planos de Daniel, pois havia (e ainda há) quem defendesse uma candidatura única da oposição. No entanto, o último evento do PMDB realizado na capital deixou claro que as possibilidades de um recuo peemedebista estão cada vez mais escassas.

Veja abaixo a lista completa:

 

Alexandre Baldy (Sem partido) – Houve quem dissesse que, para assumir o Ministério das Cidades, o empresário teria se comprometido a não disputar a reeleição e ficar no governo até o final de 2018. Balela. Baldy avisou que deixa o cargo em abril.

 

Foto: Renan Accioly/ Jornal Opção

 

Célio Silveira (PSDB) – Nome forte do Entorno do Distrito Federal, o tucano chegou a ser cotado para vice da eventual chapa de Zé Eliton ao governo de Goiás, mas vai tentar mais um mandato.

 

 

Delegado Waldir (PR) – Campeão de votos em 2014, o policial rompeu com a base do governo Marconi e foi para as trincheiras da oposição. Deve sair candidato pelo DEM. Há uma pequena chance de que dispute o Senado na pouco provável chapa de Ronaldo Caiado (DEM).

 

Deputado federal Fábio Sousa no Plenário | Foto: Zeca Ribeiro/ Agência Câmara

 

Fábio Sousa (PSDB) – Bispo da Igreja Fonte da Vida, o evangélico deve trocar o PSDB pelo PSL (que virará Livres) e disputará mais um mandato. É um político qualificado.

 

 

Flávia Morais (PDT) – Tida como hors-concours, a deputada é nome forte da base marconista para 2018.

 

 

 

Giuseppe Vecci (PSDB) – Aliado de primeira hora do governador Marconi Perillo, o presidente do PSDB em Goiás é uma das apostas do partido para 2018

 

 

Heuler Cruvinel (PSD) – Apesar de ser sondado para a vice de Zé Eliton na disputa ao governo de Goiás, o projeto do líder do Sudoeste é se manter em Brasília.

 

 

João Campos (PRB) – Pastor e delegado licenciado, Campos tentará mais um mandato de deputado, embora sonhe com o Senado.

 

 

 

Jovair Arantes (PTB) – Um dos nomes mais importantes do Congresso Nacional, o presidente do PTB em Goiás deve ser reeleito para seu sétimo mandato. No ano passado, concorreu a presidência da Câmara.

 

 

Lucas Vergílio (SD) – O jovem, que foi eleito pela oposição e agora está na base marconista, deve tentar mais um mandato

 

 

Magda Mofatto (PR) – Com patrimônio declarado de R$ 21 milhões, a deputada mais rica da Câmara Federal deve tentar mais um mandato. Empunha a bandeira do armamento e da legalização dos jogos de azar. No ano passado, estrelou controversas propagandas na TV exaltando o posse de armas.

 

 

Marcos Abrão (PPS) – Sobrinho da senadora Lúcia Vânia (PSB), o deputado tentará mais um mandato para manter o grupo da tia vivo.

 

 

Pedro Chaves (PMDB) – Considerado por um jornal canadense como um dos únicos políticos íntegros no Congresso Nacional, o peemedebista tentará seu sexto mandato. Pode disputar o Senado na chapa de Daniel Vilela.

 

 

Roberto Balestra (PP) – Há 32 anos na Câmara, Roberto Balestra chegou a anunciar sua “aposentadoria”, mas amigos e aliados o convenceram a disputar a reeleição em 2018.

 

 

Rubens Otoni (PT) – Um dos deputados mais municipalistas do Estado, o petista é considerado ponto fora da curva: deve ser reeleito, a despeito da baixíssima popularidade de seu partido.

 

 

Thiago Peixoto (PSD) – O jovem parlamentar chegou a ser cotado para vice de Zé Eliton, mas seu projeto é a reeleição.

 

 

*As fotos são da Câmara Federal, arquivos do Jornal Opção ou reprodução

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Jhonatan

Eses deputados q votaram a favao do presidente en troca de dinheiro nao pode ganhar novamente como toberto balestra ladra bandido!!!